Negócios

Inframerica deve investir R$ 3,5 bi em Aeroporto de Brasília

Um dos projetos anunciados pela concessionária é a construção do chamado "Terminal JK", um empreendimento comercial com área de 303 mil metros quadrados


	Aeroporto de Brasília: um dos projetos anunciados pela concessionária é a construção do chamado "Terminal JK"
 (Jonas Oliveira/ Placar)

Aeroporto de Brasília: um dos projetos anunciados pela concessionária é a construção do chamado "Terminal JK" (Jonas Oliveira/ Placar)

DR

Da Redação

Publicado em 18 de dezembro de 2015 às 12h23.

São Paulo - A Inframerica anunciou nesta sexta-feira, 18, um plano de investimento de R$ 3,5 bilhões em seis novos projetos para o Aeroporto Internacional de Brasília. Em nota, a concessionária informa que os empreendimentos terão início em 2016, com conclusão prevista em até sete anos.

Um dos projetos anunciados pela concessionária é a construção do chamado "Terminal JK", um empreendimento comercial com área de 303 mil metros quadrados.

Essa estrutura contará com um shopping com 280 lojas, 30 restaurantes do tipo fast food e outros oito restaurantes de alto padrão, além de um edifício garagem com capacidade para quatro mil vagas de estacionamento.

O novo terminal também contará com dois hotéis, dois edifícios de escritórios, cinema, academia e áreas para descanso. Segundo a concessionária, o acesso dos passageiros ao Terminal 1 e ao saguão de embarque se dará por meio do Terminal JK - as obras terão início em 2016, devendo ser concluídas até 2018.

Os planos da Inframerica também incluem a ampliação da sala de embarque internacional do Aeroporto de Brasília. Com as obras, o espaço ganhará nove mil metros quadrados, o que permitirá que o número de pontes de embarque passe de quatro para oito.

Com a ampliação, a capacidade crescerá para até 1,5 milhão de passageiros internacionais por ano, 130% a mais que a capacidade atual. Segundo a Inframerica, as obras também serão iniciadas em 2016, com conclusão prevista para 2018.

Outros projetos

A expansão da rede hoteleira ao redor do Aeroporto de Brasília também está nos planos anunciados hoje. Segundo a Inframerica, o terminal conta hoje com um Hotel Base Concept na região aeroportuária e já assinou contrato para a abertura de cinco novos hotéis, de padrão entre três e cinco estrelas.

As obras da rede hoteleira devem começar no ano que vem e terminar em 2018. Ao todo, serão um Wyndham Grand Collection e um Tryp by Wyndham, localizados no Terminal JK, um Ibis, um Ibis Budget e um Hard Rock Hotel.

A expectativa é de que, em 2018, cerca de 1.600 novos quartos de hotel estejam disponíveis para os turistas que visitarem a cidade.

Um quarto projeto é o "Sun Park City Center", um centro de comércio, serviços e lazer com 418 mil metros quadrados de área construída.

O complexo contará com parque aquático, aquário, área infantil, cinema, hospital e arena multiuso, entre outros.

A Inframerica também construirá o "Office Park", um prédio de escritórios com estacionamentos privados e rotativos com 487 mil metros quadrados de área construída, e o "Storage", espaço de 85 mil metros quadrados para o armazenamento de cargas.

"Estes novos projetos mostram que a concessionária aposta em Brasília como uma cidade de grande potencial para investimento.

Estamos lançando a primeira cidade-aeroportuária do País que trará muitas oportunidades de lazer, comércio e serviços para a população brasiliense e esta é a nossa certeza de que o empreendimento será um sucesso", diz, em nota, o presidente da Inframerica, José Luis Menghini.

A Inframerica ainda informa que todo o desenvolvimento dos projetos irá adicionar 1,3 milhão de metros quadrados de área construída ao Aeroporto de Brasília, empregará mais de 10 mil operários e irão gerar mais de 13 mil novos empregos após concluídas.

Acompanhe tudo sobre:Aeroporto de BrasíliaAeroportosAeroportos do BrasilBrasíliacidades-brasileirasInframéricaSetor de transporteTransportestransportes-no-brasil

Mais de Negócios

Franquia de sucesso: como a Domino’s transformou um empréstimo de US$ 900 em um negócio bilionário

Sob nova gestão, iFood prepara investimentos em startups e mira verticais de mercado e de benefícios

Colaboração entre Dell e Microsoft facilita a vida de empresas na gestão do ambiente multicloud

EXCLUSIVO: novo fundo de investimento, Moni Capital, do Grupo ND, tem R$ 80 milhões para startups

Mais na Exame