A página inicial está de cara nova Experimentar close button

Hypera Pharma, a gigante do setor farmacêutico, divulga resultados

Com histórico de aquisições, farmacêutica está colocando em prática plano de inovação e divulga resultados financeiros do segundo trimestre

Maracugina, Atroveram, Benegrip... As marcas que fazem parte do guarda-chuva da Hypera Pharma são muitas e compõem principalmente a cesta de medicamentos sem prescrição médica consumida pelos brasileiros.

Mas além das opções que ficam "do lado de cá" do balcão nas drogarias, que incluem também tradicionais adoçantes Zero Cal e Finn, a Hypera Pharma aposta em lançar novos produtos com prescrição médica.

  • Quais são as tendências entre as maiores empresas do Brasil e do mundo? Assine a EXAME e saiba mais.

Desde a sua fundação, em 2001, a empresa cresceu principalmente a partir de aquisições, criando assim uma estrutura de farmacêutica descentralizada, mas o foco agora é inovar e lançar novidades.

A companhia foi fundada como Prátika Industrial e estrou em 2008 na bolsa de valores sob o nome Hypermarcas S.A., usado até fevereiro de 2018, quando passou a ser Hypera Pharma.

Uma das principais "entradas" de produtos dentro do gigantesco portfólio da empresa foi a compra do laboratório Neo Química, que produz principalmente medicamentos com prescrição médica.

O apetite da Hypera é conhecido no mercado como voraz, o que se traduz em bons resultados trimestrais e de retornos para os acionistas, tanto que as ações da empresa estavam entre as mais indicadas por gestores no começo de 2021. Nesta quinta, às véspera das divulgação dos resultados financeiros do trimestres, as ações fecharam em alta de mais de 2%.

A última aquisição da Hypera foram 12 marcas de remédios da Sanofi por US$ 190 milhões. Nesta sexta-feira, a empresa divulga os dados do segundo trimestre deste ano e a expectativa é de mais uma vez um bom desempenho.

Um dos pontos fortes da empresa é desempenho do setor farmacêutico que costuma apresentar resultados acima do crescimento do PIB. Em 2020, por exemplo, ano de recessão mas também de crise de saúde, ela cresceu 11%, segundo o IQVIA.

Segundo e o envelhecimento da população, que deve manter a demanda por medicamentos em alta, a empresa também é a única com participação em todos os segmentos das drogarias.

Agora, porém, o foco é inovação e lançamento de produtos novos. Em apresentação a investidores no mês de abril, a empresa detalhou que nos próximos anos devem ser lançados 350 novos produtos e que o foco é em produtos exclusivos para tratamentos crônicos.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também