Governo espanhol quer que Telefónica pague custos de demissões

Estado quer que a empresa banque auxílio-desemprego aos funcionários demitidos para controlar seus gastos

Madri - O governo da Espanha, batalhando para controlar os gastos públicos, quer que a Telefónica banque auxílio-desemprego a 8.500 funcionários que o grupo de telecomunicações pretende dispensar, afirmou o Ministério do Trabalho, nesta sexta-feira.

Jornais espanhóis publicaram nesta sexta-feira que o custo dos benefícios para os 25 por cento da força de trabalho da Telefónica na Espanha que deixará a companhia ficará entre 270 milhões e 440 milhões de euros (615 milhões de dólares).

O valor total das reparações a serem pagas a esses trabalhadores, além do pacote de redundância oferecido pela Telefónica, dependerá do tempo de trabalho, do salário atual e do motivo alegado para a demissão, de acordo com a legislação espanhola.

A Telefónica se recusou a comentar o assunto.

A empresa de telecomunicações está controlando seus custos na Espanha por ter enfrentado dura competição em meio a uma estagnação econômica, o que tornou mais caro conquistar e manter clientes em um momento no qual o desemprego afeta mais de um em cada cinco espanhóis.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.