GM inicia recall de 2,7 mi de veículos nos EUA

Nova York - A General Motors iniciou mais um grande recall nos Estados Unidos.

A montadora começou a recolher uma quantidade aproximada de 2,7 milhões de veículos com falhas de segurança, o que representará um custo extra de até US$ 200 milhões neste trimestre.

Do total da frota a ser retirada de circulação, 2,4 milhões são veículos de passeio.

Exemplares dos modelos Chevrolet Malibu, Pontiac G6 e Saturn Aura, por exemplo, serão recolhidos das ruas por problemas no sistema de luzes traseiras.

O recall também vai abranger 477 populares Chevrolet Silverado e GMC Sierra, com defeito na ponta do eixo da homocinética; mais de 140 mil Chevrolet Malibus a partir do ano modelo 2014, com problemas de freio; cerca de 140 mil Chevrolet Corvettes, pela falta de faróis de médios; e aproximadamente 19 mil Cadillac CTS, com falhas no para-brisa.

A GM já fez algo próximo a 20 recalls em diversos países desde o início de 2014, promovendo a troca de milhões de veículos.

A maioria foi nos Estados Unidos, onde problemas no sistema de ignição - que podem atrapalhar o funcionamento de airbags e fazer o veículo perder potência - vêm incomodando a empresa pela grande recorrência.

De acordo com o chefe de segurança da montadora, Jeff Boyer, o aumento dos recalls vem junto com investimentos em investigações internas para resolver e prevenir problemas.

"Não estamos à espera de defeitos", disse Boyer. "Também contratamos mais 40 investigadores de segurança para nos ajudar a encontrar potenciais problemas antes que eles aconteçam."

As reclamações frequentes dos consumidores começaram em 2005, mas a série de recalls só foi iniciada em fevereiro deste ano.

Nesse período, 13 mortes em acidentes com carros da GM tiveram como causa o problema crônico no sistema de ignição.

Diante disso, a empresa realiza uma investigação interna para apurar a razão da demora no início dos recalls.

A Administração Nacional de Segurança do Tráfego Rodoviário pode aplicar multas de US$ 7 mil por dia de atraso à empresa. Fonte: Dow Jones Newswires.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 1,90

Nos três primeiros meses,
após este período: R$ 15,90

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.
Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.