France Telecom critica intervenção em acordo por Dailymotion

Companhia criticou o governo por desencaminhar o seu plano de vender uma participação majoritária no site de compartilhamento de vídeos

	Homem passando em frente à sede do Yahoo!: portal estava em negociações para adquirir uma participação de 75% no Dailymotion
 (Justin Sullivan/Getty Images)
Homem passando em frente à sede do Yahoo!: portal estava em negociações para adquirir uma participação de 75% no Dailymotion (Justin Sullivan/Getty Images)
L
Leila AbboudPublicado em 02/05/2013 às 12:50.

Paris - A France Telecom criticou o governo, seu maior acionista, na quinta-feira, por desencaminhar o seu plano de vender uma participação majoritária no site de compartilhamento de vídeos Dailymotion, reacendendo o debate sobre a interferência do Estado na economia francesa.

O portal da web baseado nos EUA Yahoo estava em negociações para adquirir uma participação de 75 por cento no Dailymotion, 12° maior site de compartilhamento de vídeos, que compete com o YouTube, do Google.

Mas o ministro da Indústria da França, Arnaud Montebourg, não gostou da ideia de que uma das start-ups mais bem sucedidas da França seria "devorada" pelos americanos.

Montebourg pressionou por uma parceria mais "equilibrada" com a posse de 50-50, levando ao colapso das negociações e deixando a France Telecom em busca de outro parceiro para ajudar o Dailymotion a crescer no exterior, especialmente no crucial mercado dos EUA.

O presidente-executivo, Stephane Richard, disse que a intervenção do Estado era indevida.

"O Dailymotion é uma unidade da France Telecom, e não do Estado. É a empresa, a sua gestão e diretoria que devem lidar com esta questão", afirmou Richard em uma entrevista ao jornal Les Echos.

Ele disse que iria procurar outro parceiro.

O episódio é o mais recente confronto entre o governo socialista do presidente François Hollande e líderes empresariais. Um dos primeiros foi a sua promessa de campanha de impor um super-imposto 75 por cento sobre os mais ricos.