Negócios

Ford confirma demissões de cerca de 3 mil funcionários

A redução na força de trabalho tem como alvo em sua maioria funcionários nos EUA, no Canadá e também na Índia

No mais recente esforço da empresa para cortar custos, no momento em que realiza uma transição de mais longo prazo para veículos elétricos (Paulo Whitaker/Reuters)

No mais recente esforço da empresa para cortar custos, no momento em que realiza uma transição de mais longo prazo para veículos elétricos (Paulo Whitaker/Reuters)

EC

Estadão Conteúdo

Publicado em 22 de agosto de 2022 às 14h24.

Última atualização em 22 de agosto de 2022 às 15h10.

A Ford Motor confirmou nesta segunda-feira, 22, que demitirá quase 3 mil trabalhadores de suas fábricas e também funcionários sob contrato, no mais recente esforço da empresa para cortar custos, no momento em que realiza uma transição de mais longo prazo para veículos elétricos. A montadora enviou um e-mail interno nesta segunda-feira aos funcionários, ao qual o Wall Street Journal teve acesso, dizendo que os afetados serão informados nesta semana.

A redução na força de trabalho tem como alvo em sua maioria funcionários nos EUA, no Canadá e também na Índia. Cerca de 2 mil postos são da unidade da montadora em Dearborn, Michigan. Os outros mil trabalham em posições por contrato em outros locais, disse a empresa.

Os cortes não são inesperados. O WSJ e outros meios reportaram em julho que a montadora faria demissões, como parte de uma reestruturação mais ampla para reforçar seu foco em veículos elétricos e nas baterias que estes necessitam.

Veja também: 

Moises, o "Spotify inteligente" dos músicos, capta US$ 8,6 milhões

Acompanhe tudo sobre:DemissõesEmpregosFord

Mais de Negócios

De entregadores a donos de fábrica: irmãos faturam R$ 3 milhões com pão de queijo mineiro

Como um adolescente de 17 anos transformou um empréstimo de US$ 1 mil em uma franquia bilionária

Um acordo de R$ 110 milhões em Bauru: sócios da Ikatec compram participação em empresa de tecnologia

Por que uma rede de ursinho de pelúcia decidiu investir R$ 100 milhões num hotel temático em Gramado

Mais na Exame