Ford: acaba uma história de 101 anos de inovação e pioneirismo no Brasil

Montadora foi a primeira a se instalar no país, em 1919
 (Germano Lüders/Exame)
(Germano Lüders/Exame)
Por Denyse GodoyPublicado em 11/01/2021 17:55 | Última atualização em 11/01/2021 18:01Tempo de Leitura: 3 min de leitura

Nesta segunda-feira (11), a montadora americana Ford colocou um ponto final em uma história de 101 anos de inovação e pioneirismo no Brasil.

A Ford foi a primeira montadora estrangeira a se instalar no Brasil, em 1919. Instalada em um galpão na ria Florêncio de Abreu, centro de São Paulo, importava as peças que aqui formavam o icônico Modelo T.

Em 1921, mudou-se para o Bom Retiro, abrigando a primeira linha de montagem de veículos em série do Brasil – esse arranjo fabril, criado pelo fundador Henry Ford nos Estados Unidos, reovolucionou a indústria à época.

Inaugurou a primeira exibição de automóveis no Brasil também, no Palácio das Indústrias, na capital paulista, em 1924. No ano seguinte, repetiu a mostra no Rio de Janeiro. Desde a sua inauguração no país, a produção havia saltado de 4 mil veículos para pouco mais de 24 mil.

O Ford Modelo A sucedeu o Modelo T em 1928. No mesmo ano, Henry Ford criou a Fordlândia, uma vila americana com 10 mil quilômetros quadrados no meio da selva amazônica no Pará. Com 1,9 milhão de seringueiras, era vista como uma solução para diminuir a dependência da borracha importada do Oriente. Mas uma doença típica das árvores devastou os seringais e o grandioso projeto acabou abandonado em 1933.

No decorrer da década de 1930, a Ford foi ampliando a variedade de modelos vendidos no Brasil, produzindo localmente e importando da Europa. Durante a Segunda Guerra Mundial, a pedido do governo brasileiro, começou a montar caminhões. O Ford 1949  foi o grande lançamento da Ford no pós-guerra, com um novo estilo de design e aprimoramentos no chassi, eixo cardã e suspensão.

O primeiro veículo desenvolvido pela Ford no Brasil foi o caminhão F-600, que saiu da linha de montagem da fábrica localizada no bairro paulistano do Ipiranga. Em 1960 veio o primeiro trator nacional. Em 1967, o Ford Galaxie, primeiro carro de luxo brasileiro, com motor V8, direção hidráulica e outros itens inéditos.

O Corcel II a álcool, também desenvolvido no Brasil, foi o primeiro veículo da Ford com esse combustível sustentável e o primeiro com sistema automático de partida a frio. Ayrton Senna estrelou anúncios do carro, que não tinha os problemas de eficiência dos concorrentes.

Para ganhar margens e produtividade, em 1987 a Ford criou uma parceria com a Volkswagen para operar no Brasil e na Argentina, compartilhando fábricas. Chamada Autolatina, a associação que durou até 1995.

Em 1997, a primeira geração do Ka inaugurou o segmento dos subcompactos no Brasil. A montadora foi pioneira a instalar uma fábrica no Nordeste. A unidade de Camaçari, na Bahia, trouxe conceitos avançados de arquitetura e produção. A década de 2010 foi marcada pelo remodelamento de carros emblemáticos como o Ka, que batia a marca de 1 milhão de unidades vendidas, Fiesta e EcoSport.

A Ford vem perdendo participação no Brasil de forma persistente. Antes firme na posição de quarta maior montadora do país, a empresa em 2020 caiu para a quinta posição no ranking de automóveis e comerciais leves mais vendidos e para a sexta colocação se considerados somente carros de passeio.