Negócios

Fogo de Chão é adquirida por gestora Bain Capital, em negócio avaliado em mais de 5 bilhões de reais

Criada no sul do Brasil em 1979 pelos irmãos Arri e Jair Coser, a Fogo de Chão tem a maior parte do negócio fora do país

O negócio pertencia à Rhone desde 2018 (Fogo de Chão/Divulgação)

O negócio pertencia à Rhone desde 2018 (Fogo de Chão/Divulgação)

Marcos Bonfim
Marcos Bonfim

Repórter de Negócios

Publicado em 16 de agosto de 2023 às 09h59.

Última atualização em 16 de agosto de 2023 às 13h57.

A tradicional rede de restaurantes Fogo de Chão foi aquirida pela gestora americana Bain Capital. O acordo não teve o valor revelado, mas é avaliado em US$ 1,1 bilhão, o equivalente a R$ 5,5 bilhões.

A rede tem 76 restaurantes em todo o mundo. Criada no sul do Brasil em 1979 pelos irmãos Arri e Jair Coser, a Fogo de Chão tem a maior parte do negócio fora do país, como fruto de um processo de expansão iniciado em 1997, pelo Texas, nos Estados Unidos.

Hoje, 58 dos restaurantes da empresa estão no mercado americano. Para este ano, a empresa previa a abertura de mais de uma dezena de unidades pelo país e também pelo vizinho Canadá, reforçando a presença na América do Norte.

A notícia da compra surpreendeu o mercado que dava como certo a abertura de capital da empresa na Bolsa de Nova York (NYSE). Em dezembro de 2021, a Fogo de Chão, por meio de sua controladora Fogo Hospitality, entrou com pedido de IPO.

O cenário econômico global mais difícil e escasso em crédito adiou os planos e levou ao desfecho atual.

A expectativa é de que a transação seja concluída em setembro. O acordo financeiro entre as partes está sob condução do Deutsche Bank, também consultor financeiro da Bain Capital.  

Qual a história da rede de churrascarias

O negócio pertencia à Rhone desde 2018, após uma aquisição que avaliou a rede de churrascarias brasileira em 560 milhões de dólares. Na época da compra, a gestora optou por fechar o capital da Fogo de Chão, aberto em 2015 na bolsa americana Nasdaq

Os irmãos Coser saíram da operação em 2012. Em 2006, eles venderam 35% da participação da empresa para a GP Investimentos, gestora que assumiu o controle em 2011.

Um ano depois, a Fogo de Chão foi vendida por US$ 400 milhões para o private equity americano Thomas H Lee Partners, responsável por levar a empresa à abertura de capital.

Acompanhe tudo sobre:Fogo de ChãoPrivate equity

Mais de Negócios

Mukesh Ambani: quem é o bilionário indiano que vai pagar casamento de R$ 3,2 bilhões para o filho

De vendedor ambulante a empresa de eletrônicos: ele saiu de R$ 90 mil para mais de R$ 1,2 milhão

Marca de infusões orgânicas cresce com aumento do consumo de chás no Brasil e fatura R$ 6 milhões

Descubra 4 formas de pedir empréstimo e quais são as vantagens e desvantagens de cada uma

Mais na Exame