Fiat Chrysler e PSA recebem sinal verde da UE para fusão de US$38 bilhões

Com a fusão, as montadoras PSA (Peugeot, Citroën) e Fiat Chrysler (FCA) formarão o quarto maior grupo automobilístico mundial
 (Germano Lüders/Exame)
(Germano Lüders/Exame)
A
AFPPublicado em 21/12/2020 às 10:21.

A União Europeia (UE) autorizou nesta segunda-feira a fusão das montadoras PSA (Peugeot, Citroën) francesa e Fiat Chrysler (FCA) americana, mas com algumas condições para proteger a concorrência no setor de veículos comerciais.

Quer saber onde investir melhor diante da pandemia? Então conte com a assessoria do BTG Pactual Digital.

Com a fusão, as duas empresas formarão o quarto maior grupo automobilístico mundial. As duas gigantes se comprometeram a prorrogar o acordo de cooperação entre PSA e Toyota para os veículos comerciais leves e a facilitar o acesso das concorrentes às redes de reparos e manutenção da PSA e da FCA para este tipo de carro, segundo um comunicado da Comissão Europeia.

A união PSA e FCA, anunciada no fim de 2019, resultará na criação do quarto maior grupo automobilístico mundial em volume e o terceiro em faturamento, com marcas emblemáticas como Peugeot, Citroën, Opel, Jeep, Alfa Romeo e Maserati.

As empresas pretendem concluir o projeto de fusão no primeiro trimestre de 2021. O novo grupo terá o nome Stellantis.

"Estamos em condições de autorizar a fusão entre Fiat Chrysler e Peugeot SA, pois seus compromissos facilitarão a entrada e expansão no mercado das caminhonetes comerciais leves. Nos outros mercados em que as duas fabricantes exercem suas atividades, a concorrência continuará a ser apoiada após a fusão", afirmou Margrethe Vestager, vice-presidente da Comissão responsável pela Concorrência.