Ex-Unilever cria startup de vendas para o pequeno varejo que já fatura R$ 4 bilhões

Do ex-vp de vendas da multinacional, o Compra Agora conecta pequenos lojistas e indústrias em um marketplace dotado de inteligência de dados
Julio Campos, CEO do Compra Agora: R$ 4 bilhões em vendas para o pequeno varejo (Silvia Zamboni/Compra Agora/Divulgação)
Julio Campos, CEO do Compra Agora: R$ 4 bilhões em vendas para o pequeno varejo (Silvia Zamboni/Compra Agora/Divulgação)
Por Maria Clara DiasPublicado em 10/06/2022 11:18 | Última atualização em 10/06/2022 11:18Tempo de Leitura: 4 min de leitura

No Compra Agora, plataforma de vendas coordenada pelo ex-vp de vendas da multinacional de bens de consumo Unilever, Julio Campos, o  mercado potencial do pequeno varejo é motivação para crescer. Nas contas da empresa, que nasceu dentro do hub de desenvolvimento de negócios da Unilever, 1 milhão de estabelecimentos brasileiros podem fazer parte da clientela. Destes, 30% já fazem. Em dois anos, a empresa já atraiu 40 clientes e, em 2021, faturou R$ 4 bilhões.

Assine a EMPREENDA, a nova newsletter semanal da EXAME para quem faz acontecer nas empresas brasileiras!

Criado em 2016 dentro do Grupo Gronext Technologies, empresa de tecnologia em que a Unilever é majoritariamente investidora, o Compra Agora surgiu para solucionar boa parte das dores do pequeno varejista interessado em vender produtos da multinacional, como o atendimento ao consumidor, organização de estoques e compras morosas.

“Imaginamos que uma plataforma que exibisse todo o portfólio de produtos com itens que façam sentido para cada caso particular poderia simplificar a vida desse varejista”, diz Julio Campos, CEO do Compra Agora. “Num único lugar ele consegue comprar de forma mais eficiente, usando dados para indicações de promoções, por exemplo. A ideia sempre foi trazer prosperidade e facilidade”.

Na plataforma, antes chamada de Compra Unilever, a própria empresa tinha pouca representatividade. Segundo Campos, os produtos da Unilever costumavam representar apenas 4% do carrinho de compras dos pequenos lojistas. Reverter isso, segundo ele, dependia de maior competitividade.

LEIA TAMBÉM

Honestidade como modelo de negócio? Mercadinho sem vendedor cresce 400% em um ano

Com Box 1824, CI&T quer resolver grandes problemas do século digital

Essa conclusão, junto ao olhar atento ao que há de mais complicado na vida do pequeno vendedor é, em boa medida, resultado da longa experiência de Campos na própria Unilever. O executivo esteve na empresa por mais de três décadas — mais recentemente como vice-presidente de vendas e desenvolvimento de negócios para o Brasil e América Latina.

Em 2020, Campos deixou a empresa para comandar o Compra Agora, depois do modelo de negócio se provar e dar seus primeiros passos rumo à independência. “É incrível perceber como o pequeno varejo já é dono de mais de 50% do mercado comprador das grandes indústrias. Não à toa percebemos que seria necessário dar mais atenção a isso”, diz.

Agora independente, a empresa atua apartada da Unilever — inclusive atendendo concorrentes diretos da multinacional. Na lista de clientes da Compra Agora estão gigantes como 3M, Arcor, Bauducco, Cargill, Danone, Heinz, Faber-Castell, Pepsico e também a própria Unilever.

Marketplace para o pequeno varejo

Na prática, a empresa funciona como um marketplace para pequenos varejistas, especialmente lojistas de bens de consumo. Por lá, diferentes indústrias podem colocar seus insumos à venda, enquanto empreendedores ganham um ambiente para encher seus carrinhos a partir da compra online e da comparação de preços na plataforma.

A loja online também conta com inteligência de dados para recomendação de alguns itens e promoções, além de segmentar os sortimentos com base nas necessidades de cada negócio. Em outra frente, um blog dedicado à produção de conteúdos informativos publica periodicamente textos sobre gestão, finanças, tendências de mercado e digitalização.

A plataforma, que possui 400 mil clientes cadastrados e 40 indústrias, cresce na casa dos 25% ao ano, diz Campos. Nesse ritmo, a meta é chegar a 1 milhão de pontos de venda e um faturamento de R$ 5 bilhões em 2022 — um resultado que também virá a partir da expansão do negócio pela América Latina. Em janeiro, o Compra Agora chegou à Argentina e em outubro estará no México.

“O Compra Agora nasceu da proposta de facilitar a vida do pequeno varejista com tecnologia. Anos depois, principalmente com a pandemia e a ida de negócios para o digital, isso se mostrou ainda mais valioso”, diz.