Negócios

Empregos verdes crescem no Brasil. Veja como se preparar

Relatório do LinkedIN indica que a participação desse talentos verdes na força de trabalho aumentou quase 50% desde 2015

Female engineer wearing hard hat and reflective green jacket standing with laptop against wind turbine and setting it up. Energy concept. (Andriy Onufriyenko/Getty Images)

Female engineer wearing hard hat and reflective green jacket standing with laptop against wind turbine and setting it up. Energy concept. (Andriy Onufriyenko/Getty Images)

DR

Da Redação

Publicado em 6 de julho de 2022 às 18h21.

Última atualização em 7 de julho de 2022 às 11h33.

A participação dos chamados talentos verdes na força de trabalho global aumentou de 9,6% em 2015 para 13,3% em 2022, segundo dados do Global Green Skills Report 2022, elaborado pelo LinkedIn – um crescimento de 38,5%, portanto. No ano passado, cerca de 10% dos anúncios de emprego exigiam ao menos uma habilidade verde.

“A escala de mudança necessária para alcançar uma economia verde e cumprir as metas ambiciosas de mudança climática global significa que precisamos pensar em habilidades sustentáveis em todos os empregos e em todos os setores”, disse Sue Duke, chefe de políticas públicas globais do LinkedIn, ao divulgar o relatório.

O que é um emprego verde?

Pela definição da Organização Internacional do Trabalho (OIT), entende-se por empregos verdes aqueles trabalhos que reduzem o impacto ambiental de empresas e de setores econômicos para níveis que sejam pelo menos sustentáveis. São, portanto, empregos que protegem os ecossistemas e a biodiversidade; reduzem o consumo de energia, materiais e água através de estratégias de elevada eficiência; descarbonizam a economia; e minimizam ou evitam todas as formas de poluição ou produção de resíduos. 

Segundo a OIT, os empregos verdes podem ser criados em todos os setores e empresas, em áreas urbanas ou rurais, do trabalho manual ao qualificado e em todos os países, independentemente do nível de desenvolvimento.

Os cinco empregos verdes com crescimento mais rápido entre 2016 e 2021, em termos de crescimento anual, segundo o relatório do LinkedIn, são:

  • Gerente de sustentabilidade (30%)
  • Técnico de turbinas eólicas (24%)
  • Consultor solar (23%)
  • Ecologista (22%) 
  • Especialista em saúde e segurança ambiental (20%)

Encontre um trabalho com propósito e salários altos. Participe de live gratuita e saiba qual profissional é procurado por multinacionais bilionárias

Os índices tendem a crescer ainda mais. “Esperamos ver milhões de novos empregos criados globalmente na próxima década, impulsionados por novas políticas e compromissos climáticos”, disse Ryan Roslansky, executivo-chefe do LinkedIn. 

E os dados não deixam dúvidas. O número de empregos em energias renováveis e meio ambiente nos Estados Unidos aumentou 237% nos últimos cinco anos. Em contraste, os empregos de petróleo e gás cresceram apenas 19%.

Habilidades verdes: como se capacitar

Já as “habilidades verdes”, exigidas em 10% dos anúncios de emprego em 2021, segundo o LinkedIn, são aquelas que permitem a sustentabilidade ambiental das atividades econômicas. De acordo com o relatório da rede social profissional, o Brasil aparece como o sexto país onde os trabalhadores mais estão aplicando habilidades verdes em seus empregos. 

Trabalhadores em todos os níveis de ensino já estão desenvolvendo suas habilidades verdes. Mas, globalmente, a taxa é mais rápida entre aqueles com diploma de ensino superior, aponta o Fórum Econômico Mundial. A participação de talentos verdes nessa categoria cresceu em média 11% ao ano entre 2015 e 2021, em comparação com 9% para outros trabalhadores.

O Fórum alerta que uma série de ações foram sugeridas para formuladores de políticas públicas e empresas para garantir que as novas políticas se concentrem no desenvolvimento de habilidades verdes igualmente em todos os grupos de profissionais.

As empresas, diz o Fórum, devem apoiar a requalificação verde (upskilling e reskilling), investindo na formação da força de trabalho, cursos de aprendizagem e programas locais. 

Os trabalhadores, por sua vez, devem considerar uma carreira verde que melhore sua empregabilidade futura e lhes permita aprimorar suas habilidades regularmente.

Em um relatório publicado no ano passado, o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente disse que o desenvolvimento de uma força de trabalho adequadamente qualificada para a economia verde era fundamental. 

Em paralelo, o guia digital sobre escolhas de carreira sustentáveis para jovens publicado pela mesma instituição sugere que habilidades em ciência, arquitetura, planejamento, agricultura e justiça ambiental estão entre aquelas que serão necessárias na economia verde.

A carreira mais em alta do mercado é capaz de conciliar propósito, salários altos e crescimento profissional. Conheça aqui.

Acompanhe tudo sobre:JBSNetZero

Mais de Negócios

Mukesh Ambani: quem é o bilionário indiano que vai pagar casamento de R$ 3,2 bilhões para o filho

De vendedor ambulante a empresa de eletrônicos: ele saiu de R$ 90 mil para mais de R$ 1,2 milhão

Marca de infusões orgânicas cresce com aumento do consumo de chás no Brasil e fatura R$ 6 milhões

Descubra 4 formas de pedir empréstimo e quais são as vantagens e desvantagens de cada uma

Mais na Exame