Em pandemia de covid-19, fábricas da Armani vão produzir macacões médicos

A escassez de equipamentos de proteção e outros dispositivos médicos é um dos maiores problemas assolando o sistema de saúde da Itália

O grupo de moda Armani disse nesta quinta-feira que todas as suas fábricas italianas começarão a produzir macacões médicos descartáveis, um esforço para auxiliar os agentes de saúde durante a crise do coronavírus.

A escassez de equipamentos de proteção e outros dispositivos médicos é um dos maiores problemas assolando o sistema de saúde da Itália desde que o contágio veio à tona na Lombardia, região rica do norte do país, no final de fevereiro.

A grife administrada pelo estilista Giorgio Armani acrescentou que aumentou de 1,25 milhão de euros para 2 milhões de euros os recursos que doou para hospitais italianos para ajudá-los a enfrentar a emergência do vírus.

Um consórcio de empresas têxteis e de moda do país, coordenado pela associação comercial Confindustria Moda, deve começar a produzir em breve um milhão de máscaras de proteção com o objetivo de tornar a Itália autossuficiente na fabricação destes itens.

As últimas notícias da pandemia do novo coronavírus:

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.