Elon Musk cala críticos e enviará astrounautas ao espaço na quarta-feira

A SpaceX, do fundador da montadora Tesla, será primeira empresa privada a enviar astronautas à Estação Espacial

Fundador da montadora de carros elétricos Tesla, Elon Musk é especialista também em polêmicas. A mais recente foi um embate com o governo da Califórnia sobre reabrir uma fábrica em meio à quarentena causada pelo coronavírus. Musk também se notabilizou por projetos mirabolantes não concluídos — entre eles o de um submarino para resgatar os meninos tailandeses presos numa caverna em 2018.

Por esse histórico, a companhia espacial de Musk, a SpaceX, criada para enviar pessoas à órbita e, em último caso, para colonizar Marte, sempre atraiu desconfiança. Pois o empresário vem calando os críticos e se prepara para enviar dois astronautas da Nasa ao espaço na próxima quarta-feira. Será a consolidação do sonho do bilionário, que sempre disse que não consegue pensar em nada mais excitante do que “estar entre as estrelas”.

Bob Behnken e Doug Hurley, veteranos da Nasa, vão pilotar uma missão comercial batizada de Crew Dragon. Com eles, os Estados Unidos interromperão uma latência de 10 anos sem viagens espaciais tripuladas. Se as condições climáticas não permitirem, um novo lançamento está previsto para 30 de maio. Behnken e Hurley vão chegar à Estação Espacial e, após 110 dias, partirão com um grupo de outros três astronautas.

A SpaceX foi fundada em 2002 e precisou de uma série de autorizações da Nasa, a agência espacial americana, antes de enviar seus primeiros pilotos em uma missão. Na sexta-feira a companhia concluiu testes decisivos no espaço em que os astronautas viajarão. Tudo certo. Agora, falta apenas um teste final, um pré-lançamento na segunda-feira, antes de a aventura se tornar realidade.

Em uma entrevista recente à Bloomberg, Musk afirmou que a empresa precisou de “dez mil” reuniões para aprovar cada demanda da Nasa e de seus sócios na Estação Espacial, como russos e japoneses. No fim das contas, segundo o site Business Insider, a Space X conseguiu chegar à rigorosa exigência da Nasa sobre chance de morte dos astronautas — uma para 270. Os dois astronautas estão conscientes dos riscos, uma vez que estão trabalhando junto com a SpaceX no projeto há cinco anos.

Um ponto curioso da aventura de Musk é que ele superou a Boeing, maior fabricante de aviões dos Estados Unidos, com cem anos de história, para ganhar o contrato de fabricação da nave que voará na próxima semana. Era uma competição simbólica entre passado e futuro, e a SpaceX ganhou o direito de ser a primeira empresa privada a enviar astronautas ao espaço.

A empresa de Musk ganhou a parada, entre outros motivos, pela experiência de levar com sucesso equipamentos à Estação Espacial desde 2012 — embora dois foguestes tenham explodido em testes nos últimos anos. Além disso, a SpaceX se notabilizou pela eficiência, reaproveitando materias que permitem à companhia fazer viagens espaciais a baixo custo. “A Boeing foi arrogante e complacente”, disse Musk ao Washigton Post. “Veja, eles não saem da cama por menos de 1 bilhão de dólares”.

Musk e a Nasa garantem que todos os problemas foram solucionados, e que a Crew Dragon está pronta para a missão. Entusiastas no mundo todo estão contando as horas.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?

Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?

Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 15,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis

Já é assinante? Entre aqui.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.