Negócios

Eletrosul não deve aderir a repactuação em contratação livre

A subsidiária Chesf, por sua vez, avaliou não ser vantajosa a adesão à repactuação do risco hidrológico de geração de energia elétrica


	Usina hidrelétrica de Furnas: a Eletrobras informou que suas controladas Eletrosul e Furnas optaram por aderir à repactuação do risco hidrológico
 (REUTERS/Paulo Whitaker)

Usina hidrelétrica de Furnas: a Eletrobras informou que suas controladas Eletrosul e Furnas optaram por aderir à repactuação do risco hidrológico (REUTERS/Paulo Whitaker)

DR

Da Redação

Publicado em 14 de janeiro de 2016 às 07h44.

São Paulo - A Eletrobras informou que suas controladas Eletrosul e Furnas optaram por aderir à repactuação do risco hidrológico de geração de energia elétrica para usinas contratadas no Ambiente de Contratação Regulada, não aderindo à repactuação para o Ambiente de Contratação Livre, de acordo com comunicado divulgado na noite de quarta-feira.

A subsidiária Chesf, por sua vez, avaliou não ser vantajosa a adesão à repactuação do risco hidrológico de geração de energia elétrica para a sua usina. A empresa disse que ainda informará a opção a ser adotada pela subsidiária Eletronorte.

Mais informações em instantes.

Acompanhe tudo sobre:EletrobrasEletrosulEmpresasEmpresas estataisEnergiaEnergia elétricaEstatais brasileirasHoldingsServiços

Mais de Negócios

Marca de infusões orgânicas cresce com aumento do consumo de chás no Brasil e fatura R$ 6 milhões

Descubra 4 formas de pedir empréstimo e quais são as vantagens e desvantagens de cada uma

Apoio Financeiro no RS: prazo para adesão ao termina nesta sexta-feira; saiba como se inscrever

Com nova fábrica, Gelato Borelli vai triplicar produção e planeja faturar R$ 360 milhões em 2024

Mais na Exame