Negócios
Acompanhe:

Elecnor lucra 5,1 mi de euros na reorganização de filiais brasileiras

Enquanto comprou 66,6% da sociedade de uma concessionária por R$ 173 mi, a empresa vendeu 33,3% do que tinha em outras duas por R$ 101,9 mi e R$ 89,4 mi

Após finalizar esta segunda fase, a Elecnor vai operar neste setor com oito sociedades (NANI GOIS)

Após finalizar esta segunda fase, a Elecnor vai operar neste setor com oito sociedades (NANI GOIS)

D
Da Redação

20 de julho de 2011, 09h02

Madri - O grupo espanhol Elecnor obteve lucro de 5,1 milhões de euros após a conclusão da segunda fase da reorganização de suas filiais brasileiras, uma vez alcançadas as aprovações das autoridades reguladoras, informou nesta quarta-feira a empresa em comunicado.

Elecnor comprou 66,6% que ainda não controlava da sociedade concessionária de transmissão elétrica Vila do Conde Transmissora de Energia da Isolux Energia e Lintran do Brasil, por R$ 173 milhões.

Ao mesmo tempo, vendeu 33,3% que tinha na sociedade Porto Primavera Transmissora de Energia a Lintran do Brasil por R$ 101,9 milhões.

Outro negócio envolveu a venda a Isolux de 33,3% da companhia Cachoeira Paulista Transmissora de Energia S. A. (CPTE) por R$ 89,4 milhões. Os dois investimentos representam, portanto, 86,1 milhões de euros.

Após finalizar esta segunda fase, a Elecnor vai operar neste setor com oito sociedades, das quais tem a totalidade do capital em seis delas, em outra 50% e na oitava 33,3%.

Estas 8 concessionárias têm como objetivo a exploração de 3.233 quilômetros de linhas, das quais 2.291 são diretamente atribuíveis a Elecnor, um grupo espanhol dedicado à promoção de projetos e desenvolvimento de infraestruturas.