Ela transformou o cuidado com os filhos dos outros em um negócio de US$ 3,6 milhões

Gretchen Salyer é fundadora da June Care, startup que conecta famílias e cuidadores de crianças
Gretchen Salyer, fundadora da June Care: startup captou US$ 3,6 milhões conectando famílias em busca de cuidados com as crianças (CNBC/Reprodução)
Gretchen Salyer, fundadora da June Care: startup captou US$ 3,6 milhões conectando famílias em busca de cuidados com as crianças (CNBC/Reprodução)
M
Maria Clara DiasPublicado em 15/07/2022 às 12:40.

Durante a pandemia, a americana Gretchen Salyer foi uma entre as milhões de mães obrigadas a adaptar suas rotinas em casa e para dar conta da educação dos filhos pequenos, impedidos de irem às escolas e creches. Logo nas primeiras semanas de confinamento, ela já percebeu a dificuldade em conduzir o ensino digital para três crianças ao mesmo tempo.

Aquele não era um desafio particular à sua família. Slayer percebeu que outras mães e membros da comunidade onde morava também enfrentavam o mesmo problema ao tentar conciliar a educação das crianças ao trabalho remoto. "Minha comunidade e meus amigos e vizinhos – eles estavam realmente lutando. Eles estavam tentando trabalhar em casa. Eles estavam tentando educar virtualmente seu jardim de infância", contou a empresária à CNBC.

Diante disso, ela criou uma verdadeira rede de apoio, onde mães revezavam os cuidados com os pequenos em curtos períodos de tempo. Pouco tempo depois, a ideia deu origem a June Care, startup que conecta famílias em busca de cuidados infantis a famílias que possam ficar com as crianças em casa.

LEIA TAMBÉM: Aos 33, empreendedora fatura R$ 7 milhões ensinando a fazer vídeos no TikTok

A proposta é ir contra os padrões de cuidados praticados por escolas e creches, onde crianças ficam por períodos de tempo determinados. Na June Care, os pais podem escolher por quantas horas deixar seus filhos aos cuidados de terceiros. No modelo de negócio da startup, pais cuidadores podem cobrar algo como US$ 20 por hora, e a startup fica com 7% disso pela intermediação.

Em meio a um cenário que tirou grande parte dos cuidadores (em sua maioria mulheres) da força de trabalho pela dificuldade em encontrar lugares e pessoas para cuidar de seus filhos, a empresa de Salyer também pretende ser uma opção para a obtenção de renda.

“Estamos aproveitando a oferta subutilizada de trabalho de cuidados que está acontecendo em milhões de lares em todo o país e tornando isso acessível às famílias que procuram cuidados e, assim, criando oportunidades de renda adicionais para todos”, diz Salyer.

Slayer, que jamais imaginou se tornar empreendedora aos 40 anos e com três filhos, decidiu colocar o negócio à prova. Em novembro de 2021, preparou um pitch sobre a empresa e captou US$ 3,6 milhões da firma de capital de risco Craft Ventures e de vários investidores anjo. Entre eles Evan Sharp, cofundador do Pinterest; Jeff Weiner, ex-CEO do LinkedIn e Max Mullen, fundador da Instacart.

Ataulmente, a plataforma estima ter 5.000 membros, entre cuidadores e famílias em busca de cuidados.

LEIA TAMBÉM

Depois de ser mal atendida por mecânico, empreendedora cria oficina 100% feminina