Ecclestone volta a ser presidente executivo do Grupo F1

Bernie Ecclestone, de 84 anos, havia deixado o posto por estar envolvido num processo de corrupção em Munique

Paris – O empresário Bernie Ecclestone recuperou seu posto de presidente executivo do Grupo Fórmula One, que gerencia os interesses comerciais da F1, segundo o Twitter da Fórmula 1.

Ecclestone, de 84 anos, havia deixado o posto por estar envolvido num processo de corrupção em Munique, arquivado depois do pagamento de 100 milhões de euros à justiça alemã. Mesmo assim, o britânico continuava gerenciando a principal categoria do automobilismo esportivo, apesar de não poder assinar documentos.

Ao recuperar sua posição no Conselho de Administração do Grupo F1, o holding operacional da Fórmula 1, Ecclestone também voltou a ser o diretor-geral. O presidente não executivo do Conselho continuará sendo o austríaco Peter Brabeck-Letmathe, 70 anos e ex-diretor-geral da Nestlé (1997-2008), que não optou por suceder Ecclestone por problemas de saúde.

Os outros dois grandes nomes do novo Conselho do Grupo F1 são o do italiano Luca di Montezemolo, de 67 anos, ex-presidente da Ferrari, e do britânico Paul Walsh, de 59 anos, ex-diretor-geral do grupo alimentício Diageo.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.