• BVSP 110.672,76 pts -3,3%
  • USD R$ 5,5850 +0,0002
  • EUR R$ 6,5041 +0,0072
  • ABEV3 R$ 15,13 -3,14%
  • BBAS3 R$ 30,81 -4,35%
  • BBDC4 R$ 21,15 -2,31%
  • BRFS3 R$ 24,12 -3,87%
  • BRKM3 R$ 57,77 -2,35%
  • BRML3 R$ 8,14 -5,13%
  • CSAN3 R$ 22,5 -3,27%
  • ELET3 R$ 39,4 -2,98%
  • EMBR3 R$ 25,11 -2,14%
  • Petróleo US$ 84,55 -0,62%
  • Ouro US$ 1.777,10 +0,37%
  • Prata US$ 24,01 +0,31%
  • Platina US$ 1.046,60 -0,05%

Dow: empresa é referência em equidade e respeito para funcionários LGBTI+

A empresa da indústria química Dow é um dos destaques da 3ª edição do Guia EXAME Diversidade

A diversidade e inclusão nas empresas é uma jornada que precisa de consistência para mudar o cenário interno e incentivar as demais comunidades envolvidas. Sabendo disso, a fabricante química Dow começou a falar de equidade e respeito aos LGBTI+ há mais de vinte anos em sua sede nos Estados Unidos, e desde 2012 na operação do Brasil.

Quer deixar de ser funcionário e começar a empreender? Encurte caminhos com o curso Inovação na Prática 

A intenção da empresa de promover um ambiente seguro para ser como realmente é, na vida pessoal e na profissional, torna a mão de obra mais livre para ter ideias bacanas capazes de colocar o negócio à frente da concorrência.

Afinal, empresas com funcionários abertamente LGBTI+ podem lucrar até 15% mais que concorrentes, segundo pesquisa da consultoria McKinsey com negócios da América Latina.

Para gerar resultado de forma efetiva é preciso o envolvimento de toda a companhia e, em especial, da liderança. Na Dow o tema está estruturado com Tiago Betti, homem gay funcionário da Dow há 12 anos, que hoje atua como líder de inclusão e diversidade para América Latina e responde para Karen S. Carter, nomeada líder de diversidade e inclusão global em 2017. Com essa gestão é possível engajar os funcionários e garantir que 75% deles participam de algum grupo de afinidade para temas de diversidade.

"A ideia é que a diversidade deixe de ser vista como programa ou iniciativa numa área específica e se torne parte da cultura corporativa, do que nós somos”, disse a executiva em entrevista à EXAME em 2018.

No dia a dia dessas lideranças é comum realizar treinamentos de quebra de vieses inconscientes, letramento sobre o uso dos termos corretos relacionados à diversidade, mapear o censo interno e gerar oportunidade de contratação, desenvolvimento e retenção de talentos. Em meio a isso, um dos momentos mais marcantes do trabalho de Betti ocorreu ao ver a mudança da ficha cadastral de um funcionário para mulher, trans e lésbica.

"Minha reação foi ligar para ela, entender se tinha havido engano e, se não, quais auxílios podíamos oferecer", diz Betti. A funcionária é Laís de Jesus, coordenadora de sistemas de manutenção, há oito anos na Dow.

A política de diversidade da empresa a deixou confortável para seguir adiante no processo de transição de gênero. “Os funcionários da área em que trabalho foram treinados sobre o tema nas minhas férias. Quando voltei, todos já me trataram como Laís”, diz.

A funcionária em questão é Laís de Jesus, coordenadora de sistemas de manutenção, que trabalha na Dow há oito anos. O treinamento de diversidade recebido pelos líderes em março de 2018 foi o ponta pé para que Laís se sentisse confortável para compartilhar sua transição de gênero, e informar que durante as férias faria uma cirurgia de feminilização facial.

“Durante um mês houve treinamentos de conscientização com todos os funcionários e terceiros da unidade de Jacareí, onde trabalho. Quando voltei, todos já me trataram como Laís”, afirma. Segundo ela, o fato de que muitos já conheciam seu trabalho também ajudou nesse processo.

Laís lembra ainda importância do trabalho para os LGBTI+. No Brasil, a expectativa de vida de uma pessoa trans é de 35 anos e 90% delas se prostitui para garantir alguma renda, segundo a Associação Nacional de Travestis e Transexuais (Antra). A exclusão começa em casa, na escola e afeta a vida adulta, sendo papel das empresas o auxílio na mudança a partir de treinamentos e contratações.

Na empresa química Dow a diversidade também se dá em muitas outras frentes. Um exemplo se dá na busca cada vez mais ativa de profissionais negros, que culminou em pretos e pardos como 77% dos contratados no último processo de estágio.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.