Doritos doa R$ 1 milhão para LGBTI+, e diversidade na PepsiCo vai além

Metas para equidade de gênero, raça e mais. Iniciativas de marketing visam refletir ações internas da companhia
 (//Divulgação)
(//Divulgação)
M
Marina Filippe

Publicado em 07/07/2020 às 15:14.

Última atualização em 07/07/2020 às 16:53.

A Doritos, marca de salgadinhos da fabricante de alimentos e bebidas PepsiCo, anuncia que está doando 1 milhão de reais para causas LGBTI+ este ano por meio da campanha de marketing #1Kiss1Donation. Desde 2017, quando a marca lançou o produto Doritos Rainbow foram 15 instituições apoiadas em todas as regiões do Brasil, e cerca de 100.000 pessoas beneficiadas.

A marca está também promovendo um programa de fortalecimento da gestão de projetos sociais voltados para o público LGBTI+. Ao final, as cinco instituições com melhores médias de frequência e avaliações serão contempladas com uma consultoria especializada durante quatro meses. O curso, que tem as inscrições abertas até 19 de julho, já registrou cerca de 1.000 inscritos.

Para promover as ações sociais por meio de marketing, a empresa precisou se apoiar nas iniciativas internas de diversidade e inclusão. No Brasil, a área de diversidade e inclusão da PepsiCo foi criada em 2016, e apoiada em políticas globais iniciadas dez anos antes.

"Quando promovemos a diversidade e a inclusão, evoluímos como sociedade. Ter um quadro diverso na companhia é a melhor maneira de retratar a sociedade e propor soluções mais assertivas para as necessidades de nossos públicos”, diz Daniela Cachich, vice-presidente de marketing na PepsiCo Brasil.

Conheça as outras iniciativas para além de LGBTI+:

Étnico-racial

A PepsiCo tem 46% de representatividade negra na companhia, de forma geral. Sendo que 37,2% desses profissionais estão em cargos de média liderança e 10,5% em cargos de alta liderança. Mas, a intenção é ter 30% de líderes negros em todos os níveis até 2025. Para isso, além e recrutar, é preciso capacitar.

Um exemplo é a capacitação para 92 estudantes universitários negros de comunidades em vulnerabilidade social da Grande São Paulo. O programa tem a duração de dois anos e é acompanhado de mentoria dos executivos das organizações parceiras e de workshops para desenvolvimento profissional.

Gerações

Além dos tradicionais programas de estágio, a empresa tem focado na contratação de pessoas com 50 anos ou mais. Com o programa Golden Years, a PepsiCo busca ativamente por pessoas que tenham estado fora do mercado e queiram voltar. "Esses profissionais retornam com muita disposição, interesse e vontade de pertencer a uma organização, o que é percebido no desempenho de suas tarefas. Tudo isso impacta positivamente os resultados do negócio", diz Cachich.

Mulheres

A meta da companhia é de ter 50% de representação feminina, em todos em cargos de liderança, até 2025. Atualmente, no Brasil, as mulheres ocupam 44% das posições de liderança, se considerado a partir de nível gerencial. Além de promover internamente, globalmente, serão investidos 100 milhões de dólares em parceria com a PepsiCo Foundation para apoiar iniciativas que beneficiarão 12,5 milhões de mulheres e meninas em diversas comunidades até 2025.