Don Corleone quer falar sobre seus negócios. Você não vai ouvi-lo?

Não é bom dispensar um chamado do padrinho – mas, creia, há algumas coisas que ele pode lhe ensinar sobre gestão

São Paulo – Ainda criança, Vito Corleone viu sua mãe morrer para defendê-lo de um mafioso de sua cidade-natal. Fugiu da Itália para não ter o mesmo destino e acabou sozinho em plena Nova York. Já idoso, morreu no quintal de casa, aparentemente de um ataque cardíaco, enquanto brincava tranquilamente com o neto.

Entre estes dois instantes, construiu seu próprio império na máfia. Foi temido, respeitado e, de certa forma, um grande homem de negócios. Coloque de lado os momentos em que Don Corleone precisou resolver seus problemas do jeito mais tradicional entre os mafiosos (à bala) e o que se vê são algumas boas lições de gestão e liderança.

Pelo menos, é o que defende Justin Moore, presidente da Axcient, uma empresa americana de tecnologia. As lições que tirou da trilogia “O Poderoso Chefão” foram publicadas pela revista Fast Company. Veja quais são:

1. Construa uma comunidade

Don Corleone era hábil em trocar favores. Quem não se lembra de quando, no primeiro filme, o chefão aceita dar uma lição em alguns gaiatos que agrediram a filha de um agente funerário, em troca da sua lealdade. Para selar a relação, Corleone o lembra de que, um dia, aquele favor deveria ser retribuído. Mas o melhor é quando ele diz: “Eu nunca me esqueço de quem me faz um favor.”

Mostrar-se disposto a ajudar as pessoas a resolver seus problemas é um bom modo de construir sólidos laços de colaboração. Afinal, quem recusará seu pedido de ajuda, depois de você ter salvo a sua pele? E, se recusar, passe para o item aí debaixo.

2. Seja firme, quando necessário

Mafioso que é mafioso anda com homens tão duros e bravos quanto ele. Por isso, é preciso ser firme quando a situação o exige. Se você fizesse parte da “família”, já estaria cansado de saber qual é a punição para quem não cumpre suas obrigações ou é desleal.


Ok. Você não precisa ser tão radical no mundo corporativo. Paciência e gentileza são sempre recomendadas, mas a tolerância com pessoas da equipe que mostram um recorrente problema de baixo desempenho e descompromisso deve ser pequena. E a porta da saída está aí para isso, se não houver outro remédio.


3. Vá chorar na ópera (ou em casa)

Chefão só chora na ópera – e ainda assim, bem discretamente. Guarde suas emoções para você. No mundo da Máfia ou no dos negócios, quem se deixa dominar pelas emoções é abatido rapidamente. O melhor exemplo é o do impulsivo Sonny, o primogênito de Don Corleone: arrumou tanta briga, que acabou morto pelos inimigos da família.

O exemplo vem do próprio Don Corleone, na reunião de mafiosos em que propõe um pacto de paz justamente com o chefe da família que matou seu filho. Por mais que a perda de Sonny lhe machucasse, o melhor era encerrar o assunto ali mesmo – afinal, são apenas negócios.

4. Seja decidido

Aqui, o exemplo vem de Michael Corleone, o filho de Vito que herda o comando da organização. Para consolidar seu poder, ele ordena, entre outros assassinatos, o do próprio irmão – Fredo, que o havia traído.

É claro que um executivo não deve chegar a esse ponto. O episódio mostra, porém, o quanto ser decidido é vital (literalmente) para o sucesso: um chefão não pode mostrar fraqueza ou hesitação.

5. Reserve tempo para sua família

Como diz Don Corleone, um homem que não convive com sua família não é um verdadeiro homem. Ter uma vida pessoal saudável é fundamental para que o gestor não leve, na valise, os problemas particulares para o escritório.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também