• AALR3 R$ 20,07 -0.64
  • AAPL34 R$ 68,92 3.20
  • ABCB4 R$ 16,74 0.30
  • ABEV3 R$ 14,10 0.57
  • AERI3 R$ 3,85 5.77
  • AESB3 R$ 10,95 2.34
  • AGRO3 R$ 30,96 0.72
  • ALPA4 R$ 20,80 1.66
  • ALSO3 R$ 19,47 2.42
  • ALUP11 R$ 27,24 1.64
  • AMAR3 R$ 2,48 2.90
  • AMBP3 R$ 31,15 3.66
  • AMER3 R$ 24,11 2.73
  • AMZO34 R$ 66,30 -0.51
  • ANIM3 R$ 5,55 1.83
  • ARZZ3 R$ 79,40 -2.41
  • ASAI3 R$ 16,00 0.25
  • AZUL4 R$ 21,94 3.98
  • B3SA3 R$ 12,15 0.91
  • BBAS3 R$ 38,56 4.22
  • AALR3 R$ 20,07 -0.64
  • AAPL34 R$ 68,92 3.20
  • ABCB4 R$ 16,74 0.30
  • ABEV3 R$ 14,10 0.57
  • AERI3 R$ 3,85 5.77
  • AESB3 R$ 10,95 2.34
  • AGRO3 R$ 30,96 0.72
  • ALPA4 R$ 20,80 1.66
  • ALSO3 R$ 19,47 2.42
  • ALUP11 R$ 27,24 1.64
  • AMAR3 R$ 2,48 2.90
  • AMBP3 R$ 31,15 3.66
  • AMER3 R$ 24,11 2.73
  • AMZO34 R$ 66,30 -0.51
  • ANIM3 R$ 5,55 1.83
  • ARZZ3 R$ 79,40 -2.41
  • ASAI3 R$ 16,00 0.25
  • AZUL4 R$ 21,94 3.98
  • B3SA3 R$ 12,15 0.91
  • BBAS3 R$ 38,56 4.22
Abra sua conta no BTG

Companhia aérea demite aeromoças e põe pilotos para fazer o trabalho

A decisão da Icelandair veio depois de a empresa, afetada pela crise do coronavírus, não conseguir um acordo com o sindicato dos comissários de bordo
Icelandair: empresa aérea disse que o serviço de bordo será o mínimo durante a pandemia (Getty Images/Thomas Barwick)
Icelandair: empresa aérea disse que o serviço de bordo será o mínimo durante a pandemia (Getty Images/Thomas Barwick)
Por Felipe GiacomelliPublicado em 18/07/2020 09:03 | Última atualização em 18/07/2020 09:15Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Uma companhia aérea da Europa decidiu "inovar". Devido à crise econômica provocada pela pandemia do novo coronavírus, ela encerrou o contrato de toda a equipe de comissários de bordo e avisou que os pilotos é que vão fazer o serviço de cabine a partir de segunda-feira (20). As informações são do site da Business Insider.

De acordo com a reportagem, a Icelandair, da Islândia, foi bastante afetada pela crise econômica. Se em maio do ano passado, ela teve 419 mil passageiros, no mesmo mês deste ano, foram somente 3.100.

Como resultado, a companhia passou por um processo de reestruturação financeira e buscou renegociar alguns contratos, incluindo dos funcionários que fazem o serviço de bordo. Só que aí veio um impasse com o sindicato do setor, e não houve acordo.

Assim, a Icelandair optou por encerrar os contratos de todos os comissários e passar a função aos pilotos.

"A Icelandair vai permanentemente rescindir o contrato com todos os seus comissários de bordo e descontinuar as relações de trabalho com as partes", disse a empresa em um comunicado. "O serviço de bordo será o mínimo (assim como tem sido desde o começo da pandemia)", completou.

Só que, em vez de ser uma solução, a decisão da Icelandair gerou outro impasse. É que os comissários de voo são os responsáveis por toda a segurança dos passageiros do avião e passam por inúmeros treinamentos para assumir sua função. Já os pilotos terão apenas este fim de semana para se prepararem para a nova tarefa, o que pode levar a questão para a justiça.