Exame logo 55 anos
Remy Sharp
Acompanhe:
seloNegócios

Com CCE, Lenovo quer ser líder no Brasil em três anos

Juntas, companhias têm 7% do mercado brasileiro; em três anos, a meta é dobrar o percentual e garantir a liderança

Modo escuro

Continua após a publicidade
Executivos da Lenovo e CCE em coletiva de imprensa, no Brasil (Divulgação)

Executivos da Lenovo e CCE em coletiva de imprensa, no Brasil (Divulgação)

M
Marcela Ayres

Publicado em 11 de setembro de 2012 às, 09h43.

São Paulo - A chinesa Lenovo anunciou nesta quarta-feira a compra do Grupo Digibras, dono da CCE, por 300 milhões de reais. A informação havia sido adiantada pelo blog Primeiro Lugar, de Tiago Lethbridge, em EXAME.com, na tarde de ontem. A companhia levará todos os negócios do grupo brasileiro, que incluem a Digibras, dona da marca CCE e fabricante de produtos como TVs e computadores, e a Digiboard, que monta placas eletrônicas e painés de LCD e LED.

Com a aquisição, que envolve dinheiro e ações pelo controle total da CCE, a Lenovo quer entrar para valer no mercado de computadores no Brasil. Juntas, as duas companhias possuem 7% do negócio de PCs no país. A meta é dobrar essa participação em três anos e abocanhar o primeiro lugar entre as competidoras.

O propósito não vem de hoje. Em 2010, a empresa tentou levar a Positivo, em uma negociação que acabou sendo abortada na etapa final. A Positivo, aliás, será uma das principais concorrentes da Lenovo. A companhia paranaense é líder na venda de computadores por aqui, seguida pela americana HP.

A própria CCE não é uma veterana no mercado: companhia familiar do ramo eletrônico, a empresa decidiu apostar no negócio de computadores pessoais no início de 2006. De fevereiro a outubro daquele ano, conseguiu vender 37.000 unidades. Cinco anos depois, a produção bateria em 774.000 computadores, entre notebooks e desktops.

Uma de suas grandes vantagens no escoamento dos produtos é sua presença entre varejistas. Com itens disponíveis em mais de 20.000 pontos de vendas, a CCE faturou 1,6 bilhão de reais no ano passado.

Perspectivas 

"A CCE, com seu portfólio completo de produtos e base valiosa de fabricação no Brasil, é uma parceira perfeita", afirmou Yang Yuanqing, CEO global da Lenovo. "A equipe de gestão da CCE, que será essencial às nossas operações no Brasil, conhece bem o consumidor brasileiro e vai nos ajudar a estabelecer rapidamente uma presença forte no varejo local", completou o executivo.

Em coletiva à imprensa, os executivos da Lenovo reforçaram que a equipe da CCE continuará a mesma, com a manutenção de Roberto Sverner no cargo de CEO da empresa. Tanto as marcas dos produtos da CCE, quanto da Lenovo não sofrerão modificações, com o objetivo de "maximizar os pontos fortes de cada uma".

Mesmo após o período de transição, a Lenovo afirmou que não haverá interrupção nas operações individuais das duas companhias, incluindo fabricação, atendimento, entrega de produtos e garantia. O plano de negócios tampouco prevê a dispensa dos funcionários da CCE - hoje são 5.900 colaboradores no país.

Com sete fábricas divididas entre Manaus e São Paulo, a CCE verticaliza a produção de seus produtos. A Lenovo, por sua vez, havia anunciado em julho um investimento de 30 milhões de dólares em Itu, em São Paulo, destinado à construção de uma fábrica de 325.000 metros quadrados, que deverá entrar em funcionamento no fim do ano. Hoje, a produção da empresa no país é feita sob encomenda pela Flextronics.

Consolidadora

Depois de comprar a divisão pessoal da IBM em 2005, a chinesa Lenovo ficou famosa pela sede pública de dominar o mercado de PCs. Segundo relatório da Gartner, a empresa está perto disso. No segundo trimestre do ano, a companhia cravou uma participação de 14,7% no negócio global de PCs, encostando nos 14,9% entregues pela líder HP.

Últimas Notícias

Ver mais
Fini dobra de tamanho e investe R$ 350 milhões em nova linha de produção no Brasil

seloNegócios

Fini dobra de tamanho e investe R$ 350 milhões em nova linha de produção no Brasil

Há 3 horas

Como ficou o trabalho aos domingos e feriados, após as novas portarias do MTE? O que muda para 2024?

seloNegócios

Como ficou o trabalho aos domingos e feriados, após as novas portarias do MTE? O que muda para 2024?

Há 3 horas

Com copos de plástico reciclado coletado no litoral brasileiro, Corona estreia no Primavera Sound

seloNegócios

Com copos de plástico reciclado coletado no litoral brasileiro, Corona estreia no Primavera Sound

Há 17 horas

Ele ouviu que não tinha cara de CEO. Hoje, fatura milhões e faz o maior evento de inovação de Maceió

seloNegócios

Ele ouviu que não tinha cara de CEO. Hoje, fatura milhões e faz o maior evento de inovação de Maceió

Há 19 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Com copos de plástico reciclado coletado no litoral brasileiro, Corona estreia no Primavera Sound

Com copos de plástico reciclado coletado no litoral brasileiro, Corona estreia no Primavera Sound

Com itens personalizados, Tramontina usa expertise para aproveitar alta dos presentes de fim de ano

Com itens personalizados, Tramontina usa expertise para aproveitar alta dos presentes de fim de ano

Suvinil investe para criar embalagens e produtos mais sustentáveis

Suvinil investe para criar embalagens e produtos mais sustentáveis

Inovação em nuvem e IA: a aposta da Huawei Cloud para o Brasil

Inovação em nuvem e IA: a aposta da Huawei Cloud para o Brasil

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais