Com Box 1824, CI&T quer resolver grandes problemas do século digital

Em entrevista à EXAME, Cesar Gon, CEO da CI&T, e Paula Englert, CEO da consultoria de tendências, falam sobre a aquisição
Cesar Gon, presidente e um dos fundadores da CI&T (CI&T/Divulgação)
Cesar Gon, presidente e um dos fundadores da CI&T (CI&T/Divulgação)
I
Isabela RovarotoPublicado em 08/06/2022 às 10:20.

Grandes empresas têm grandes desafios. Na busca por soluções mais completas, a multinacional brasileira CI&T anunciou na semana passada a compra da Box 1824, consultoria de tendências especializada em comportamento de consumo. Google, Nestlé, Vivo, Itaú e Boticário são algumas empresas que fazem parte do portfólio de clientes de ambas empresas.

Na Bolsa de Valores de Nova York desde o ano passado, a CI&T quer se tornar uma das principais empresas voltada para a digitalização de empresas. Com a aquisição da Box 1824, conhecida por identificar tendências de comportamento e elaborar planos estratégicos para seus clientes, a expectativa é potencializar os projetos globais.

A Box 1824 é reconhecida por sua metodologia própria chamada 3D, que detecta, decodifica e direciona tendências, sempre fornecendo novas diretrizes para conteúdos e produtos de olho nas tendências recentes e visando a geração Z.

Assine a EMPREENDA e receba, gratuitamente, uma série de conteúdos que vão te ajudar a impulsionar o seu negócio

Em entrevista à EXAME, Cesar Gon, CEO da CI&T, e Paula Englert, CEO da consultoria de tendências, falam sobre a aquisição.

Qual a importância da aquisição da Box 1824 para a estratégia da companhia?

Cesar Gon: A CI&T vêm de um processo de expansão e crescimento bastante acelerado que acumulou na abertura de capital no ano passado. Agora, estamos unindo nossa estrategia de crescimento orgânico com a aquisições de empresas em novos mercados e com novas competências.

O mundo corporativo está tentando correr atrás das mudanças digitais em duas frentes: possibilidades tecnológicas e análise de comportamento. A CI&T sempre focou na primeira parte. Com a chegada da Box, nós ampliamos a nossa capacidade de resolver os grandes problemas do século digital.

Como a Box 1824 e CI&T vão trabalhar juntas?

Nós vamos trabalhar juntos em soluções de grandes desafios dos nossos clientes. A Box continua independente e com liderança própria. O principal decodificador global de seu tempo vai continuar respirando futuro, tendências e hábitos. A estratégia 3D, que detecta, decodifica e direciona tendências, passa a ser 5D, com design e desenvolvimento da CI&T.

Paula Englert, CEO da BOX 1824

Paula Englert, CEO da BOX 1824 (BOX 1824/Divulgação)

Como a CI&T agrega ao momento atual da Box 1824?

Paula Englert: Depois de crescer cerca de 50% nos últimos dois anos, nós sentimos vontade de estar mais presente globalmente e aumentar nossa capacidade tecnológica. A Box desenha as estratégias de oportunidades de negócios, mas materializa muito pouco. Agora, como parte da CI&T, poderemos oferecer a continuação da jornada até a implementação, além de ampliar nosso alcance.

Qual a importância do estudo de tendências da geração Z para a BOX 1824?

Paula Englert: A relação da Box com jovens até 24 anos é intima e profunda. Entender o comportamento dos jovens é entender o futuro. Os jovens têm uma capacidade de adotar antes do que os mais velhos os novos comportamentos, porque tem menos responsabilidade e mais liberdade. Essa conexão faz com que essa geração tome mais riscos. Estudar a visão de mundo e o comportamento deles é uma forma de antecipar tendências e oportunidades para os nossos clientes.

VEJA TAMBÉM:

Conheça a nova startup de Ronaldo, que terá investimento de R$ 40 milhões

Fusão de hrtechs: Mereo compra Vaipe e quer impactar 1 milhão de profissionais

Depois de faturar R$ 1 milhão, donos de pizzaria em SP dão dicas para ter sucesso