China intensifica vigilância e multa Alibaba e Tencent por monopólio

As ações do Alibaba e da Tencent, listadas em Hong Kong, caíram após a notícia
China: "A indústria da internet não está alheia à fiscalização da lei antimonopólio" (Aly Song/Reuters)
China: "A indústria da internet não está alheia à fiscalização da lei antimonopólio" (Aly Song/Reuters)
R
ReutersPublicado em 14/12/2020 às 12:07.

A China alertou nesta segunda-feira as gigantes da internet do país que não irá tolerar práticas monopolistas e está se preparando para intensificar a vigilância, já tendo aplicado multas e anunciado investigações envolvendo o Alibaba Group e a Tencent Holdings.

A Administração Estatal de Regulamentação do Mercado (SAMR) disse que o Alibaba, a China Literature, apoiada pela Tencent e a Shenzhen Hive Box seriam multadas em 500.000 iuanes (76.464 dólares) cada, o máximo sob uma lei antimonopólio de 2008, por não relatar negócios anteriores de maneira adequada para análises antitruste.

O órgão disse que também analisará uma fusão entre as empresas de streaming de jogos Huya e DouYu International, que foi anunciada em outubro. A Tencent é uma grande investidora em ambas e pressionou para o negócio ser concluído, informou a Reuters anteriormente.

Além disso, a SAMR disse que analisará e investigará outros acordos com base em denúncias de que algumas empresas conquistaram muito poder operacional em certos setores - um processo que deve ser demorado e envolver um grande número de empresas.

"As multas dos três casos são um sinal para a sociedade de que a supervisão antimonopólio no campo da internet será fortalecida", disse a SAMR, mesmo reconhecendo que as multas são relativamente pequenas.

"A indústria da internet não está alheia à fiscalização da lei antimonopólio", acrescentou o órgão em outro comunicado.

As ações do Alibaba e da Tencent, listadas em Hong Kong, caíram após a notícia. O Alibaba fechou em queda de 2,6% e a Tencent com recuo de 2,9% em seu pior dia desde 30 de novembro.