CEO da France Telecom corte salarial se imposto for aprovado

Presidente-executivo disse que aceitaria um corte caso o governo mantenha plano para fazer com que empresas paguem um imposto de 75% sobre os salários

	Loja da Orange, marca da France Telecom: lucro da empresa recuou no ano passado, em meio à crescente concorrência em seu mercado doméstico
 (Wikimedia Commons)
Loja da Orange, marca da France Telecom: lucro da empresa recuou no ano passado, em meio à crescente concorrência em seu mercado doméstico (Wikimedia Commons)
D
Da RedaçãoPublicado em 10/04/2013 às 09:50.

Paris - O presidente-executivo da France Telecom disse que aceitaria um corte salarial, caso o governo francês mantenha um plano para fazer com que empresas paguem um imposto de 75 por cento sobre os salários de executivos superiores a 1 milhão de euros, informou o jornal Le Figaro.

"Se a lei for aprovada... eu vou garantir que meu salário seja reduzido abaixo da marca de 1 milhão de euros", afirmou Stephane Richard ao jornal francês nesta quarta-feira. "Eu não gostaria que a France Telecom tivesse de pagar este imposto sobre o meu salário." A promessa, a primeira feita por um presidente de uma companhia que tem participação do governo, sugere que Richard quer proteger a empresa do imposto, ao mesmo tempo em que envia a mensagem de que a France Telecom não paga salários excessivos para seus principais executivos.

O lucro da empresa recuou no ano passado, em meio à crescente concorrência em seu mercado doméstico.

O presidente socialista francês, François Hollande, está lutando para reconquistar apoio, depois de ter sido obrigado a cortar as metas do orçamento da França em menos de um ano após sua eleição.

Seu governo sofreu um golpe quando um tribunal anulou um plano para taxar em 75 por cento os rendimentos pessoais superiores a 1 milhão de euros.