Apresentado por ELECTROLUX

No maior cemitério de roupas do mundo, a Electrolux manda um recado

Multinacional, que tem investido em produtos que prolongam a vida útil das roupas, vai ao Atacama alertar os consumidores para o uso consciente da moda
Atacama, no Chile: deserto recebe um mar de roupas vindas de países como Estados Unidos, China e Reino Unido (Electrolux/Divulgação)
Atacama, no Chile: deserto recebe um mar de roupas vindas de países como Estados Unidos, China e Reino Unido (Electrolux/Divulgação)
e
exame.solutions

Publicado em 05/10/2022 às 08:00.

Última atualização em 11/10/2022 às 12:34.

Comprar uma roupa nova e evitar a repetição de “looks” tornou-se um hábito muito comum em nossa sociedade. Com isso, a indústria da moda hoje é um dos segmentos que mais lucram no mundo. O que muita gente não sabe é que esse consumo desenfreado de roupas e acessórios está causando um dano desastroso para o meio ambiente.

No final de 2021, fotos do deserto do Atacama, no Chile, ganharam repercussão nas redes sociais. O motivo: um mar de roupas abandonadas formando um grande lixão tóxico, que recebe descarte de roupas de vários países, incluindo os mais ricos como Estados Unidos, China e Reino Unido.

Cerca de 59 mil toneladas de roupas chegam a cada ano no porto de Iquique, na zona franca de Alto Hospicio, no norte do Chile. Comerciantes locais compram algumas peças para revender em toda a América Latina, mas pelo menos 39 mil toneladas acabam em lixões no deserto.

Consumo desenfreado de roupas

E esse cenário desastroso não é exclusivo da região. Atualmente, a indústria da moda é uma das mais poluentes do mundo. Segundo o relatório Fashion on Climate, da organização Global Fashion Agenda, em parceria com a consultoria McKinsey and Company, em 2018, as empresas do mundo da moda emitiram cerca de 2,1 bilhões de toneladas de gases de efeito estufa em todo o mundo.

No Brasil, os números também emitem um alerta vermelho. Mais de 4 milhões de toneladas de resíduos têxteis são descartados por ano no nosso país, segundo levantamento divulgado em junho deste ano pela Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe).

Um manifesto pela moda sustentável

Nesta situação, como ajudar a salvar o meio ambiente? A forma é mais simples do que imaginamos: usando e reaproveitando as roupas que já temos. Esse foi o mote de uma campanha desenvolvida pela multinacional de eletrodomésticos Electrolux, que também lançou a primeira colação upcycling com peças do deserto do Atacama com a Rave Review, marca especializada em moda sustentável.

Roupas do deserto do Atacama reaproveitadas: coleção faz parte de uma parceria entre a Electrolux e a dupla da marca Rave Review

A dupla formada pelas designers Josephine Bergqvist e Livia Schück criou uma coleção única feita com roupas descartadas no deserto do Atacama. As peças foram desenhadas, lavadas, cortadas e costuradas para mostrar como é possível utilizar melhor – e por mais tempo – as roupas que já possuímos.

“Nosso maior objetivo com essa campanha é conscientizar as pessoas de que a roupa mais sustentável é a que já temos em casa. Este movimento está diretamente ligado a repensarmos nossos hábitos de consumo, os impactos ambientais e sociais que eles trazem, pois já não é mais novidade que as pautas de sustentabilidade e de mudanças climáticas são urgentes e, nós, enquanto empresas e indivíduos, não podemos mais esperar para agir”, conta Ana Peretti, diretora de marketing da Electrolux para América Latina.

A empresa liderou pesquisas globais sobre o tema, indicando que usamos uma peça de roupa, em média, dez vezes e já nos desfazemos dela bem antes do necessário. Outro dado desenvolvido pela Electrolux é que 25% da pegada de carbono das roupas está na forma como cuidamos delas em casa ou, ainda, que aproximadamente 73% dos resíduos têxteis acabam em aterros ou são incinerados. . Quando colocamos isso em escala global, começamos a entender quanto temos o poder de fazer escolhas no nosso dia a dia para começar a mudar esse cenário", explica Ana. 
“A maioria das pessoas acha que as roupas são reusadas ou recicladas. Porém, esse número, globalmente, é de apenas 1%. E o deserto do Atacama é só um desses lugares, que recebe aproximadamente 39 toneladas de roupas por ano. Quando colocamos isso em escala global, começamos a entender quanto temos o poder de fazer escolhas no nosso dia a dia para começar a mudar esse cenário", explica Ana. 

Electrolux: roupas feitas para durar

Além da campanha, a Electrolux vem desenvolvendo produtos com foco na durabilidade das roupas para incentivar o uso consciente da moda.

A nova linha, com dez modelos de máquinas de lavar, tem tecnologias que otimizam o uso de recursos, reduzindo a quantidade de água necessária para uma boa lavagem e aumentando o aproveitamento do sabão e amaciante, preservando melhor as cores e os tecidos das roupas durante o ciclo.

Dentre as tecnologias está o Jatos Poderosos, que reduz o consumo de até 50 litros de água por programa e proporciona até 50% menos desgaste dos tecidos e 35% menos desbotamento das cores.

Outra tecnologia é Vapour System, exclusiva da Electrolux, que remove 14x mais as manchas difíceis de roupas brancas e ainda elimina 99,99% de germes e bactérias dos tecidos.

O Dispenser Jet&Clean está presente em todos os modelos das novas máquinas de cuidar, que, além de manter o dispenser sempre limpo, dilui em até 100% o sabão e o amaciante antes de entrarem em contato com os tecidos, entregando um maior cuidado e aproveitamento dos insumos, já que evita manchas e relavagem.

 “Para esse novo portfólio foram desenvolvidos novos filtros pega-fiapos, como o caso do Ultra Filter Plus, que retém dez vezes mais fiapos que podem ficar nas roupas após as lavagens”, explica João Zeni, diretor de sustentabilidade da Electrolux para América Latina.

Máquinas de lavar da Electrolux: novas tecnologia prolongam o tempo de uso das roupas e geram menos impacto para o meio ambiente“Dentro de nossa atuação buscamos aumentar cada vez mais o potencial de impacto positivo gerado por nossos produtos, engajando nossos consumidores em hábitos de vida mais sustentáveis. Esta campanha traz de maneira bastante direta uma de nossas grandes contribuições para um futuro mais sustentável totalmente alinhada aos conceitos de economia circular, buscando estender a vida útil das roupas”, reforça o diretor.

Ciente de seu potencial de contribuição com os milhares de equipamentos que coloca no mercado, e agora com uma campanha para lá de impactante, a Electrolux não só reforça seu papel como marca em prol de um mundo mais sustentável como também deixa um recado: quer os consumidores junto com ela nesta jornada.