BTG vê carteira de crédito a PMEs saltar 5 vezes e começa nova estratégia

Liquidez recorde permitiu ao banco aumentar a concessão de crédito a empresas em um momento em que os concorrentes fechavam o cofre

"Talvez o terceiro trimestre [deste ano] tenha sido o nosso melhor até hoje", disse João Marcello Dantas Leite, diretor financeiro do banco de investimentos BTG Pactual, durante conferência por telefone com analistas do mercado nesta semana para falar sobre o balanço divulgado mais cedo. "Crescemos e aumentamos nosso market share em praticamente todos os segmentos, com base de capitalização e liquidez ainda mais fortes."

Quer investir em ações e títulos de bancos para lucrar com o setor que nunca entra em crise no Brasil? Leia as análises e relatórios da EXAME Research

O banco, o maior da América Latina no segmento e controlado pelos mesmos sócios da EXAME, registrou vários recordes no período entre julho e setembro: o montante sob gestão na área de asset management chegou a 329,3 bilhões de reais em 30 de setembro, e o volume sob gestão na unidade de fortunas somou 221,5 bilhões de reais. Porém, o aumento mais impressionante se deu na carteira de financiamento para pequenas e médias empresas: o montante total emprestado aos empreendedores de menor porte se multiplicou por cinco em um ano, chegando a 5,8 bilhões de reais, enquanto o portfólio total avançou 19,4%, para 68,3 bilhões de reais.

Com liquidez recorde – 35,5 bilhões de reais em caixa e instrumentos equivalentes –, o banco aproveitou que os concorrentes fecharam a torneira de crédito por causa da pandemia do novo coronavírus para aumentar a oferta para clientes selecionados. "Tivemos uma oportunidade única, por estarmos mais fortes em capital, enquanto o restante do mercado precisou agir de forma mais cautelosa", disse Dantas. "Nosso crédito é bem estruturado e tem garantias reais."

Até agora, o maior volume dos empréstimos do BTG para PMEs teve como tomadores os fornecedores e parceiros comerciais de grandes companhias que já eram clientes do banco antes. Assim, podia aceitar como garantia os montantes que esses fornecedores tinham a receber das grandes empresas, cujos fluxos de caixa conhecia. Encorajado pela experiência bem-sucedida, o banco pretende ampliar as modalidades oferecidas. "Isso exige, do nosso lado, aprofundamento nas modelagens para ter a mesma relação entre risco e retorno", afirmou Dantas. "Achamos que o segmento vai continuar crescendo, mantendo a qualidade, talvez em um ritmo menor."

O banco também está avançando na sua unidade de varejo. Por ora, um grupo selecionado de clientes que já investia com o BTG está testando as funcionalidades da plataforma digital. Na virada do ano, o banco será aberto para os demais interessados. O público-alvo é de alta renda, conhecedor do serviço do BTG na área de investimentos e que quer ter a mesma experiência "premium" com a sua conta corrente e cartão de crédito.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.