Banqi, banco digital das Casas Bahia, chega a R$ 1,2 bi em crediário e 5 milhões de contas

O banco da Via oferece conta digital, carnê, empréstimo pessoal, além de saques e depósitos, e é importante alavanca de aquisição de novos clientes para a varejista
Loja das Casas Bahia: banco digital da varejista permite saques e depósitos em lojas (Divulgação/Divulgação)
Loja das Casas Bahia: banco digital da varejista permite saques e depósitos em lojas (Divulgação/Divulgação)
M
Mariana Desidério

Publicado em 04/07/2022 às 08:00.

Última atualização em 04/07/2022 às 10:41.

Para o consumidor, Casas Bahia é sinônimo principalmente de eletrodomésticos, móveis e artigos para casa. E cada vez mais também é sinônimo de banco. Com três anos de vida, o Banqi, banco digital da Via, dona das Casas Bahia, chegou à marca de 5 milhões de contas digitais e já movimentou 1,2 bilhão de reais no carnê digital, o antigo crediário.

VEJA TAMBÉM:

A próxima meta do Boticário: prever se você quer comprar um batom

Bill Gates errou? Viagens de negócios superam R$ 1 bilhão em maio

O foco do Banqi é o público desbancarizado, que vem sendo disputado por diversas iniciativas no mercado. O banco das Casas Bahia oferece conta digital, carnê, empréstimo pessoal, além de saques e depósitos, que podem ser feitos nas cerca de mil lojas da rede. “O cliente de baixa renda muitas vezes se sente inibido em uma instituição financeira. Nas nossas lojas ele se sente acolhidos”, diz André Calabró, CEO do Banqi.

Até agora foram 2,8 bilhões de reais em transações em lojas, como saques e depósitos, além de 273 milhões reais em empréstimo pessoal. Mais recentemente, o Banqi passou a ter também conta voltada especificamente para o microempreendedor individual (MEI), que é cerca de 20% do total de clientes do Banqi. Para o futuro, a meta é oferecer crédito para esses empreendedores. A Via já estuda também possibilidades para permitir que o cliente faça compras em outros estabelecimentos usando o Banqi.

Assine a EXAME e fique por dentro das principais notícias que afetam o seu bolso. Tudo por menos de R$ 0,37/dia

A estratégia da Via

O avanço nos serviços financeiros tem papel importante na estratégia de captação de clientes da Via. Segundo Calabró, das 5 milhões de contas digitais do Banqi, 2,5 milhões são de pessoas que ainda não têm nenhum relacionamento com as lojas da rede – ou seja, são novos clientes em potencial.

Para facilitar as compras desse consumidor em potencial, o aplicativo do Banqi tem uma área específica para quem se interessar em fazer compras nas Casas Bahia, além de permitir outras compras como recarga de celular, compra de bilhete único, games e streaming.

Já para os clientes que já têm um relacionamento com a rede, o Banqi atua ajuda a aumentar a frequência de compras. “Sempre que o cliente adere a um serviço financeiro que oferecemos, vemos que sua recorrência de compras e sua fidelidade são muito maiores do que a de um cliente que faz uma compra à vista”, diz executivo.

Marketplace e cenário macro

Além de ampliar a recorrência e o número de clientes em potencial, a frente de serviços financeiros é importante também para mapear o comportamento do consumidor, seja dentro ou fora das lojas da rede. Na outra ponta, a Via tem investido para ampliar a gama de produtos ofertados no site, com mais sellers no marketplace, e uma variedade maior de produtos de ticket médio menor, também com foco em ampliar a recorrência de seus clientes.

Assim como outras empresas do varejo, a Via vem sofrendo com o cenário de juros altos e perspectivas nebulosas na macroeconomia. Nos últimos 12 meses, a ação da Via caiu mais de 80%. Na semana passada, a companhia aprovou a emissão de até R$ 600 milhões em debentures, cujos recursos devem ser usados na expansão de lojas.

De 1 a 5, qual sua experiência de leitura na exame?
Sendo 1 a nota mais baixa e 5 a nota mais alta.

 

Seu feedback é muito importante para construir uma EXAME cada vez melhor.