Avaliada em R$ 30 mi, healthtech Medictalks recebe aporte

Rodada de R$ 2 milhões teve a participação dos fundos brasileiros Bossanova Investimentos e Aimorés e da japonesa Incubate Fund
André Brandão, CEO da Medictalks: Faturamento de 5 milhões de reais e 40 projetos em dois anos (Divulgação/Divulgação)
André Brandão, CEO da Medictalks: Faturamento de 5 milhões de reais e 40 projetos em dois anos (Divulgação/Divulgação)
Por Da RedaçãoPublicado em 09/05/2022 10:25 | Última atualização em 09/05/2022 10:25Tempo de Leitura: 2 min de leitura

A Medictalks, plataforma que oferece conteúdos médicos gratuitos para profissionais da área da saúde, recebeu aporte de 2 milhões de reais da Bossanova Investimentos, Aimorés e da japonesa Incubate Fund. 

Com essa movimentação a startup atinge valor de mercado de 30 milhões de reais. 

Em dois anos de atuação, a healthtech já gerou mais de 5 milhões de reais em receitas. Em 2022, planeja faturar esse montante e atingir uma base de usuários de 50 mil profissionais da saúde em todo o Brasil.  

Fundada em 2020 pelo empreendedor André Brandão, a Medictalks desenvolve um software online com cursos, vídeo aulas e artigos escritos por médicos.

“A ideia é que especialistas compartilhem cases, novos estudos e tratamentos inovadores”, diz Brandão. “Ao otimizarmos a forma como os profissionais estudam e aprendem, conseguimos contribuir com rapidez para que melhores tratamentos cheguem à sociedade.”

A plataforma conta hoje com mais de 10 mil usuários, que juntos já consumiram, até o momento, cerca de três mil horas de conteúdo. 

A healthtech já realizou mais de 40 projetos com empresas como Janssen, Bayer e Gilead Sciences e instituições como ASBAI e Unicamp. 

Atualmente, atende mais de 15 indústrias farmacêuticas e clientes em todo o Brasil e América Latina.

VEJA TAMBÉM:

Assine a EMPREENDA e receba, gratuitamente, uma série de conteúdos que vão te ajudar a impulsionar o seu negócio.

Fora do expediente, eles criaram salestech que fatura R$ 8 mi

Ela abriu um negócio num carro popular. Hoje fatura R$ 118 mi com estética