Appito: sportstech capta R$ 27 milhões para levar dados aos campos de futebol

Startup que usa inteligência artificial para análise de métricas relacionadas ao desempenho de jogadores concluiu rodada de investimento nesta quarta-feira
Rodolphe Timsit e Alexandre Delepau, fundadores da Appito (Appito/Divulgação)
Rodolphe Timsit e Alexandre Delepau, fundadores da Appito (Appito/Divulgação)
M
Maria Clara DiasPublicado em 13/07/2022 às 07:00.

A Appito, startup que leva análise de dados e inteligência artificial para jogos de futebol, acaba de anunciar um aporte de R$ 27 milhões para ampliar suas soluções tecnológicas no esporte. A rodada contou com os fundos de venture capital Iporanga, Global Founder Capital (GFC) e o banco Inteligo Bank.

Fundada em 2018, a Appito é fruto dos esforços empreendedores de Rodolphe Timsit e Alexandre Delepau , executivos com passagens pelas áreas de fusões e aquisições (M&A) de instituições financeiras de renome como J.P. Morgan e BNP Paribas. Delepau também já atuou como gerente de fusões e aquisições na empresa de mídia francesa JCDecaux.

Assine a EMPREENDA, a nova newsletter semanal da EXAME para quem faz acontecer nas empresas brasileiras

Antes do aporte atual, a startup já contava com o apoio de alguns investidores anjo no Brasil e França. Alguns deles são Marcelo Claure, ex-CEO do SoftBank International; Paulo Passoni, ex-sócio do Vision Fund do Softbank, e Peter Simons, CEO do grupo canadense de varejo Simons.

Na prática, o que a sportstech faz é usar um sistema de inteligência artificial aplicado a câmeras para captar e analisar dados de jogadores e levar mais eficiência para o desempenho de atletas e clubes de futebol amadores.  O sistema da Appito reúne, entre outras informações, a quantidade de chutes de um atleta ao gol, número de assistências e distância percorrida em campo.

As estatísticas, segundo a empresa, são usadas para a criação de uma experiência de jogo aumentada em um aplicativo. Atualmente, já são mais de 800 mil usuários.

“Nosso objetivo é ser a maior marca de futebol amador da América Latina. Entendemos que mais de 30 milhões de brasileiros jogam futebol e, somado às novas modalidades, temos um grande potencial de mercado para explorar”, afirma Rodolphe Timsit, CEO e cofundador da Appito.

Com o novo investimento, o objetivo da Appito é aumentar seu time de desenvolvedores para acelerar a integração entre online e offline e levar uma experiência cada vez mais imersiva aos usuários.

Em outra frente, o capital também deve ajudar com um plano de expansão de complexos esportivos construídos pela Appito. Atualmente, a sportstech conta com um único complexo de campos de futebol na Vila Leopoldina, zona Oeste da capital paulista. Nos próximos meses devem ser inauguradas duas novas arenas na cidade.

“Estamos perfeitamente posicionados para essa nova realidade, o mercado começa a focar nos unit economics, como a geração de receita, e na robustez do modelo de negócios, que são as nossas fortalezas desde o início. Na verdade, eu acredito que chegou a nossa hora de decolar", diz Alexandre Delepau, COO e cofundador da Appito.

A startup já firmou algumas parcerias de destaque nos últimos meses. Uma delas é com a Adidas, fornecedora oficial de material esportivo, como bolas e chuteiras, para os jogos que acontecem nas arenas da Appito. Já um acordo com a Ambev permite a venda exclusiva de produtos da companhia nos espaços da Appito.

LEIA TAMBÉM

Esta startup quer acabar com a pergunta sobre reiniciar o modem da internet. Como?

Unicórnio dos hábitos saudáveis, startup chilena Betterfly anuncia aquisição e chega à Europa