Negócios

Após venda de empresa, novo bilionário britânico vai compartilhar US$ 650 milhões com funcionários

A Preqin, fornecedora independente de dados sobre mercados, está sendo adquirida pela BlackRock por US$ 3,2 bilhões

Com a transação, O’Hare e a esposa Lindy receberão cerca de US$ 2,6 bilhões, por meio do Valhalla Ventures, a holding da família (Preqin/YouTube)

Com a transação, O’Hare e a esposa Lindy receberão cerca de US$ 2,6 bilhões, por meio do Valhalla Ventures, a holding da família (Preqin/YouTube)

Marcos Bonfim
Marcos Bonfim

Repórter de Negócios

Publicado em 6 de julho de 2024 às 09h09.

Última atualização em 6 de julho de 2024 às 11h07.

Tudo sobreBilionários
Saiba mais

O anúncio da venda da Preqin, fornecedora independente de dados sobre mercados privados, para a gestora BlackRock, veio acompanhado de uma surpresa. O fundador irá compartilhar 650 milhões de dólares com a liderança e os mais de 1500 funcionários da companhia quando a transação for concluída.

Com 65 anos, Mark O’Hare lançou a empresa em 2002 contando com um time de apenas cinco pessoas. Pouco mais de 20 anos depois, a empresa está sendo comprada pela BlackRock por cerca de 3,2 bilhões de dólares

No período, a Preqin se tornou uma das maiores ferramentas de dados sobre mercados financeiros como private equity, venture capital, fundos de hedge, fundos de dívida e setores imobiliário, infraestrutura e de recursos naturais.

Com a transação, O’Hare e a esposa Lindy receberão cerca de US$ 2,6 bilhões, por meio do Valhalla Ventures, a holding da família. O restante, em torno de US$ 650, será distribuído entre profissionais de administração e funcionários da empresa, para quem distribuíram 20% de participação do negócio.

De acordo com a Fortune, a previsão é de que alguns desses profissionais se tornarão milionários. Apesar do acordo para a venda da empresa, a transação ainda depende de aprovação regulatória. A estimativa é que tudo esteja resolvido até o final de 2024. 

Batido o martelo, o casal O’Hare deve entrar para a lista das maiores fortunas do Reino Unido, superando nomes como o magnata  Alan Sugar e a autora de Harry Potter, J.K. Rowling. E ainda Larry Fink, cofundador e atual CEO da BlackRock.  

Qual é a história de Mark O’Hare

Essa é a segunda venda de companhia na história do novo bilionário, que começou a carreira no Boston Consulting Group. Em 1998, a Reuters comprou uma plataforma de informações financeiras que ele havia criado cinco anos antes, a Citywatch, hoje parte da subsidiária de dados Refinitiv. 

O valor da transação, porém, foi bem mais modesto: 2,5 milhões de libras esterlinas.

Na transação com a BlackRock, O’Hare assumirá como vice-presidente da gestora após o fechamento do acordo.

“A BlackRock é conhecida pela excelência em gestão de investimentos e tecnologia financeira e, juntos, podemos acelerar nossos esforços para fornecer melhores dados e análises de mercados privados a todos os nossos clientes em escala”, afirmou O’Hare, em comunicado. 

A Peqin tem uma cobertura global de 190.000 fundos, 60.000 gestores de fundos e 30.000 investidores de mercados privados. No total, mais de 200.000 usuários utilizam a plataforma.

Nos últimos três anos, a empresa cresceu em torno de 20% a cada 12 meses. Em 2024, a expectativa é de que feche com US$ 240 milhões em receita recorrente.

Acompanhe tudo sobre:Bilionários

Mais de Negócios

Um acordo de R$ 110 milhões em Bauru: sócios da Ikatec compram participação em empresa de tecnologia

Por que uma rede de ursinho de pelúcia decidiu investir R$ 100 milhões num hotel temático em Gramado

Di Santinni compra marca gaúcha de calçados por R$ 36 milhões

Para se recuperar, empresas do maior hub de inovação do RS precisam de R$ 155 milhões em empréstimos

Mais na Exame