Negócios
Acompanhe:

Após parceria com startup, BB vende 37% mais imóveis em 2020

A empresa associa o crescimento a uma parceria feita com a startup Resale para melhorar a divulgação dos imóveis retomados

BB: as vendas de imóveis do banco somaram 150 milhões de reais ao longo de 2020 (Pilar Olivares/Reuters)

BB: as vendas de imóveis do banco somaram 150 milhões de reais ao longo de 2020 (Pilar Olivares/Reuters)

C
Carolina Ingizza

26 de fevereiro de 2021, 12h29

Em 2020, após adotar uma solução digital para a venda de imóveis, o Banco do Brasil (BB) viu um salto de 37% no número de transações. No ano passado, 775 imóveis foram vendidos, contra 566 em 2019. Só considerando os imóveis retomados do crédito, o aumento é ainda maior: 719 vendas contra 477 em 2019, alta de 51%. No total, foram arrecadados 150 milhões de reais com as transações.

Para Mauro Ribeiro Neto, vice-presidente corporativo do BB, o aumento das vendas é resultado direto da parceria com a startup Resale, que começou em abril de 2020. “O que antes para a gente era uma despesa se tornou um produto de crescimento exponencial”, diz o executivo.

A startup administra o marketplace Seu Imóvel BB, em que o banco disponibiliza os imóveis que tem na carteira para pessoas físicas e jurídicas interessadas na compra. Todo o processo de venda é feito de forma digital, desde a assinatura eletrônica do contrato até a lavratura da escritura. A Resale ganha uma comissão de até 5% do valor do imóvel a cada venda.

A Resale, fundada em 2015 por Marcelo Prata e Paulo Nascimento, nasceu justamente para ser uma solução que ajudasse os bancos a desovar no mercado seus estoques de imóveis. Além do BB, o Santander é cliente desde 2016. A startup foi vendida para o BTG Pactual (do mesmo grupo controlador da EXAME) em 2019.

Novos projetos

O sucesso com a venda de imóveis urbanos estimulou o BB a criar, no final de 2020, uma página separada para vender as propriedades rurais retomadas, como chácaras, sítios e fazendas. Das 41 propriedades disponíveis, 16 já foram vendidas.

“A alienação de imóveis em uma plataforma digital traz a oportunidade de integrar produtos financeiros à experiência deste cliente, tais como crédito e seguro”, diz Ribeiro Neto. Atualmente, a plataforma já redireciona para outros produtos do banco, mas o vice-presidente quer aumentar as integrações, para que o cliente consiga fazer toda a transação em um lugar só.