A página inicial está de cara nova Experimentar close button

Ambev, Neoenergia e Philco recomeçam onda de doações para combater pandemia

A fabricante de bebidas está mandando 500 cilindros de oxigênio para Manaus, enquanto a companhia de energia está doando refrigeradores para o armazenamento de vacinas

No auge da primeira onda da pandemia do novo coronavírus no país, as empresas brasileiras não mediram esforços para ajudar no combate à doença. Mandaram aviões à China para buscar insumos médicos, construíram hospitais de campanha, patrocinaram a compra de respiradores, mobilizaram linhas de produção para fábricar máscaras. Até julho de 2020, segundo o Monitor das Doações da Associação Brasileira de Captadores de Recursos (ABCR), as companhias tinham contribuído com 6 bilhões de reais para as ações de governos, instituições médicas e entidades do terceiro setor que tomaram a frente na batalha.

O drama da segunda onda da covid-19, escancarado pelo colapsto do sistema de saúde de Manaus, está reavivando a solidariedade corporativa do ano passado.

A Neoenergia, que controla distribuidoras de energia elétrica como a Elektro e a Coelba, está doando refrigeradores científicos para a armazenagem de vacina em 658 cidades que atende e têm as piores notas no Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM). A doação soma 6 milhões de reais. No total, a Neonergia já contribuiu com 20 milhões de reais para ações anticoronavírus. "Neste momento em que a campanha de vacinação é a saída para conter a pandemia de covid-19, apoiamos os municípios mais necessitados das nossas áreas de concessão, que precisam dos refrigerados adequados para a vacinação da população com segurança", disse Mario Ruiz-Tagle, presidente da companhia, em nota à imprensa. A ação teve apoio da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

A fabricante de bebidas Ambev está enviando 500 cilindros com oxigênio para o estado do Amazonas. A expectativa é que cheguem na manhã de sábado (16) em Manaus. A doação teve apoio de uma de suas fornecedoras de oxigênio, a Fluxos Distribuidora, e da fabricante de embalagens Ball.

A fabricante de eletrônicos Philco está repassando todo o seu estoque de oxigênio para o estado do Amazonas. O gás é usado na fabricação de aparelhos de ar condicionado. "São 608 mil litros de oxigênio disponíveis para que a Secretária de Saúde possa reabastecer os cilindros das unidades de atendimento, onde as pessoas em tratamento da covid-19 estão internadas", disse a empresa em comunicado à imprensa.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também