Ações da Avon sobem com melhores resultados

A Avon vem lutando há anos com a diminuição de lucros frente a uma intensa concorrência

Nova York - Os negócios da Avon Products mostraram sinais de vida ao final de 2012, no momento em que a companhia de beleza reverteu o declínio das vendas em mercados importantes como Brasil e Rússia, impulsionada por mais representantes de vendas e cortes de custos.

As ações da Avon subiram mais de 18 por cento no início desta terça-feira, os maiores níveis desde que a concorrente menor Coty retirou uma oferta não solicitada para comprá-la.

A Avon vem lutando há anos com a diminuição de lucros frente a uma intensa concorrência e seus próprios erros em realizar as vendas de seus cosméticos, cremes para a pele e fragrâncias.

Mas a Avon, apresentou nesta terça-feira um lucro de operações contínuas no quarto trimestre melhor do que o esperado.

A presidente-executiva Sheri McCoy, que assumiu no final de abril no lugar de Andrea Jung, divulgou, no entanto, uma nota cautelosa sobre a recuperação da empresa.

"Nós temos muito trabalho pela frente e estou confiante de que iremos continuar fazendo progresso rumo aos objetivos financeiros", disse em uma teleconferência.

Um dos objetivos é ter um crescimento da receita em cerca de 5 por cento até 2016. Em 2012, a receita caiu 5 por cento.

BRASIL SE RECUPERA

No Brasil, principal mercado da Avon, a receita excluindo o impacto do câmbio aumentou 10 por cento.

A Natura é um rival de peso no Brasil para a Avon, que está tomando novos passos para atrair e reter representantes, como a oferta de seguros, desde que cumpram algumas metas. McCoy disse que a Avon ainda enfrenta muitos desafios no país.

A receita total da Avon caiu 1 por cento para 3 bilhões de dólares, em linha com as estimativas de Wall Street, de acordo com a Thomson Reuters I/B/E/S.

A Avon teve prejuízo trimestral de 162,2 milhões de dólares, ou 0,37 dólar por ação, comparados com um prejuízo de 400 mil dólares um ano antes.

Em bases ajustadas, a Avon teve um lucro de suas operações continuadas de 0,37 dólar por ação, acima das expectativas de Wall Street de 0,10 dólar.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.