Negócios

AB InBev está de olho na mexicana Corona

Líder mundial de cervejas busca aquisições que ajudem a cortar custos e compensar a queda nas vendas

EXAME.com (EXAME.com)

EXAME.com (EXAME.com)

DR

Da Redação

Publicado em 25 de junho de 2012 às 13h49.

Depois de se tornar a maior cervejaria do mundo por meio de fusões e aquisições, a Anheuser-Busch InBev NV agora deve tentar adquirir a marca Corona, fabricada pela cervejaria mexicana Modelo, dona de 57% do mercado de cervejas no México.

A Anheuser-Busch Inbev NV já possui 50% da Modelo, mas tem interesse em negociar com a empresa mexicana a compra da fatia restante, avaliada em torno de 7 bilhões de dólares. Segundo analistas do setor ouvidos pela agência de notícias Bloomberg, a AB InBev seguramente está à procura de novas oportunidades de aquisições e em menos de um ano já estaria em condições de adquirir operações de grande porte.

O foco no crescimento via aquisições seria uma resposta à necessidade de reduzir gastos com a produção, já que as receitas tem encolhido significativamente, em especial nos Estados Unidos, onde os consumidores substituíram marcas tradicionais de cerveja por concorrentes mais baratas.

No relatório trimestral divulgado em 12 de setembro, a AB InBev registrou aumento de 11,9% de lucro, baseada num corte de despesas que chegou a 265 milhões de dólares e incluiu eliminação de vagas nas fábricas da americana Anheuser Busch. As vendas, em compensação, caíram 10,4% e ficaram abaixo da expectativa dos analistas.

Ao voltar sua atenção para o México, a AB InBev busca ainda ganhar musculatura no sexto maior mercado de cervejas do mundo, atrás de China, EUA, Brasil, Rússia e Alemanha, num momento em que a maior concorrente da cervejaria Modelo no país, a Femsa, tenta atrair compradores.

Acompanhe tudo sobre:ab-inbevbebidas-alcoolicasCervejasCoronaEmpresasEmpresas belgasModelos

Mais de Negócios

Mukesh Ambani: quem é o bilionário indiano que vai pagar casamento de R$ 3,2 bilhões para o filho

De vendedor ambulante a empresa de eletrônicos: ele saiu de R$ 90 mil para mais de R$ 1,2 milhão

Marca de infusões orgânicas cresce com aumento do consumo de chás no Brasil e fatura R$ 6 milhões

Descubra 4 formas de pedir empréstimo e quais são as vantagens e desvantagens de cada uma

Mais na Exame