Negócios

A Lacta quer uma Páscoa mais doce e digital — e que caiba no bolso de todos

Com novidades que vão de metaverso até estratégias para driblar a inflação, a marca projeta um aumento de até 15% nas vendas

Lacta: ovos não serão o único destaque deste ano.  (Cris Faga/NurPhoto/Getty Images)

Lacta: ovos não serão o único destaque deste ano. (Cris Faga/NurPhoto/Getty Images)

Mariana Martucci
Mariana Martucci

Editora da Homepage

Publicado em 7 de abril de 2023 às 10h00.

O que a Páscoa tem de tão especial? Para muitos, é uma das principais tradições do cristianismo. Para a Lacta, é o período mais doce do ano. Com novidades que vão do comércio online — sim, no metaverso — até estratégias para driblar a inflação, a marca projeta vendas mais robustas pelo e-commerce, seja via parceiros, seja pelo site próprio.

Segundo uma pesquisa feita pela própria empresa, os consumidores da marca estão divididos em três vontades (e na mesma proporção): os que não abrem mão dos clássicos ovos de páscoa; o que recorrem a presentes simbólicos e os que preferem um produto mais acessível, seja o tipo de chocolate que for. E Lacta quer atacar em todas essas frentes.

De acordo com dados da Confederação Nacional de Comércio (CNC), os chocolates estão em média 13,9% mais caros nesta Páscoa. É justamente a inflação a principal alavanca para uma expectativa maior de crescimento. Se descontada a inflação, a estimativa de crescimento é de 2,8% acima de 2022, para R$ 2,49 bilhões.

"A Páscoa há muito tempo deixou de ser apenas sobre ovos. É sobre chocolate, cada um com seu objetivo e desejo. O que fazemos é oferecer opções para todos os perfis", reforça Álvaro Garcia, vice-presidente de marketing da Mondelēz Brasil (dona da Lacta).

Pisar em ovos

Quando a Páscoa chega, é inevitável a — cansativa — comparação entre os preços das barras de chocolate e os ovos de páscoa. A discussão é pertinente em um cenário de inflação alta, com consumidores fazendo escolhas mais baratas na hora da compra. Porém, para um ovo estar perfeitamente colocado dentro das lojas, é necessário um processo de alta complexidade.

Os ovos da marca são planejados dois anos antes. Ou seja, os produtos deste ano começaram a ser pensados em 2021. Eles precisam de todos os tipos de cuidado, seja o manuseio do chocolate até a montagem das famosas parreiras nas lojas. Para isso, é erguida uma estrutura só para a produção de ovos dentro das fábricas, exclusiva para o produto. O trabalho começa com um processo de montagem mais minucioso e que leva mais tempo. Foi necessária a contratação extra de 500 funcionários para dar conta da produção — e a complexidade está apenas no começo.

A entrega de ovos exige uma logística especial, já que moramos em um país tropical. Em função dessas especificidades, existe um trato especial do começo ao fim. A Lacta tem que manter os ovos em ambientes climatizados e realiza a entrega com uma embalagem segura, que conta inclusive com uma espécie de placa de gelo, a fim de garantir que os ovos cheguem inteiros — ou seja, nem derretidos, nem quebrados. Para montar as parreiras nas lojas físicas de parceirosé necessário atenção extra. Foram contratados 1.500 funcionários temporários para colocar os ovos, impecáveis, no lugar certo.

Grandes players e o digital

O e-commerce da Lacta existe desde 2020. A venda online, antes disso, era praticamente zero. A estimativa para este ano é que as vendas por canais digitais cresçam em torno de 15% — no ano passado, o crescimento chegou a 10% — somando 20% do total de vendas. Segundo Álvaro, a estratégia é trabalhar com um ecossistema inteiro de e-commerce. A Mondelēz está presente em mais de cem mil parceiros de venda no país, que vão de aplicativos de delivery a pequenos mercados. Além disso, a Lacta conta com uma loja online sazonal, que usam como espaço de experimentação.

"A partir dessa experiência própria da marca no comércio online, pudemos ensinar parceiros sobre a logística dos ovos de Páscoa, por exemplo. É um espaço para aprendermos, e futuramente aplicar nos afiliados", completa Álvaro.

No ano passado, a companhia percebeu uma grande demanda no setor B2B, ou seja, empresas contratando a Lacta para presentear outras empresas ou funcionários. Neste ano, a loja online contará com um espaço exclusivo para esta modalidade de venda. Além disso, a marca contará com uma loja no metaverso, em parceria com o Super Muffato, onde o cliente poderá passear virtualmente por uma loja da Lacta. Lá, é possível encontrar todo o portfólio de ovos de Páscoa da marca, e a entrega é feita pela rede de mercados tanto no Paraná quanto em São Paulo.

Buscando parcerias além das Lojas Americanas, maior vendedora de chocolates e ovos de Páscoa do país, a Lacta abriu uma loja virtual no Mercado Livre. É a primeira vez que a marca aposta na plataforma para a data. O desafio é manter os parâmetros específicos de transporte que os ovos de Páscoa têm: ter caminhões especiais faz parte da negociação com esses grandes players.

Acompanhe tudo sobre:PáscoaChocolateLacta

Mais de Negócios

Sentimentos em dados: como a IA pode ajudar a entender e atender clientes?

Como formar líderes orientados ao propósito

Em Nova York, um musical que já faturou R$ 1 bilhão é a chave para retomada da Broadway

Empreendedor produz 2,5 mil garrafas de vinho por ano na cidade

Mais na Exame