Zelensky demite dois funcionários do alto escalão da Ucrânia por traição

Subordinados do procurador-geral do cargo e o chefe do Serviço de Segurança da Ucrânia estariam colaborando com a Rússia e foram acusados de traição
Ucrânia: "Hoje tomei a decisão de exonerar de suas funções a procuradora-geral e o encarregado da agência de segurança da Ucrânia" (AFP/AFP)
Ucrânia: "Hoje tomei a decisão de exonerar de suas funções a procuradora-geral e o encarregado da agência de segurança da Ucrânia" (AFP/AFP)
A
AFP

Publicado em 18/07/2022 às 07:16.

Última atualização em 18/07/2022 às 07:17.

O presidente ucraniano, Volodimir Zelensky, destituiu neste domingo, 17, a procuradora-geral, Iryna Venediktova, e o encarregado da agência de segurança do país, Ivan Bakanov, em meio a uma onda de suspeitas de traição de funcionários a serviço da Rússia.

"Hoje tomei a decisão de exonerar de suas funções a procuradora-geral e o encarregado da agência de segurança da Ucrânia", afirmou Zelensky em sua mensagem diária à nação.

Venediktova era encarregada de investigar as atrocidades cometidas contra civis durante a ocupação russa da cidade de Bucha, na periferia de Kiev.

O presidente disse, ainda, que estavam sendo investigados 650 casos suscetíveis de traição e de ajuda e cumplicidade com o inimigo entre os funcionários de segurança ucranianos, dos quais 60 permaneceram em territórios ocupados pela Rússia.

"Um número tal de crimes contra as bases da segurança nacional e as ligações entre os funcionários ucranianos e os serviços especiais russos traz perguntas muito sérias aos responsáveis", disse Zelensky. "Cada uma destas perguntas será respondida", acrescentou.

LEIA TAMBÉM: 

Carros novos na UE terão caixa-preta, limitador de velocidade e bafômetro obrigatórios