Xangai alcança o maior nível de poluição de sua história

Uma espessa neblina envolve os mais de 15 mil arranha-céus da cidade, cujos habitantes apresentam tosse seca, irritação nos olhos e dificuldades para respirar

Xangai - O nível de poluição na cidade chinesa de Xangai, a capital econômica do gigante asiático, com mais de 20 milhões de habitantes, alcançou nos últimos dois dias seu ponto máximo na história.

Segundo informou nesta quarta-feira a imprensa oficial, Xangai está há mais de dois dias com um índice de poluição ambiental acima dos 500 pontos na escala chinesa, que é mais suave que os padrões internacionais.

Apenas em 2 de abril de 2007 foi alcançado um nível similar, embora à época a situação tenha durado poucas horas.

O sistema de medição chinês estabelece várias classificações: até 50 pontos (qualidade do ar "excelente"), entre 50 e 100 pontos ("bom"), entre 100 e 200 pontos ("ar poluído") e mais de 200 pontos ("muito poluído").

Quando os 300 pontos ("perigoso") são superados, "as pessoas saudáveis ficam propensas a experimentar menor resistência durante atividades físicas e a sofrer fortes irritações e outros sintomas", indicava em dezembro a imprensa oficial da cidade.

Neste período, Xangai havia triplicado seus níveis de poluição em apenas um mês, até chegar aos 370 pontos, nas quatro semanas posteriores à Expo Universal 2010, durante a qual as obras de construção foram interrompidas no centro da cidade e a circulação de caminhões altamente poluentes foi proibida.

Há dias, uma espessa neblina envolve os mais de 15 mil arranha-céus da cidade, cujos habitantes apresentam tosse seca, irritação nos olhos, dificuldades para respirar e fadiga, embora estejam habituados a passar períodos de forte poluição com certa frequência.

Como em outras ocasiões de alta poluição, as autoridades locais culpam supostas tempestades de areia provenientes do norte do país, embora muitos moradores da cidade estejam descontentes por não terem sido avisados com antecedência, assinalou o "Shanghai Daily".

Os especialistas locais acreditavam que a chuva diminuiria em breve o índice de 500 pontos (poluição "severa", segundo a classificação local), mas as precipitações de terça-feira só produziram um sujo chuvisco ácido que não conseguiu reduzir a densa camada de partículas poluentes em suspensão.

No entanto, o Escritório de Proteção do Meio Ambiente de Xangai e os meteorologistas locais asseguram que a chuva e as mudanças de vento esperadas para os próximos dias reduzirão a carga de poluição no ar, e preveem que hoje mesmo os níveis descerão a 300 pontos.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também