Mundo
Acompanhe:

Voz de ativista é ouvida, mas não se traduz em ações, diz Greta Thunberg

A ativista Greta Thunberg cobrou ações concretas dos líderes mundiais contra a emergência climática e ecológica

Greta: "As pessoas estão morrendo hoje, e não podemos esperar mais tempo", disse a ativista (Sergio Perez/Reuters)

Greta: "As pessoas estão morrendo hoje, e não podemos esperar mais tempo", disse a ativista (Sergio Perez/Reuters)

R
Reuters

6 de dezembro de 2019, 15h41

Madri — A ativista climática Greta Thunberg disse nesta sexta-feira que as vozes dos jovens fazendo greves pelo clima estão sendo ouvidas, mas que os políticos continuam sem agir.

"Estamos ficando cada vez maiores, e nossas vozes estão sendo ouvidas cada vez mais, mas é claro que isso não se traduz em ação política", disse Thunberg em uma conferência em Madri, sede de uma cúpula climática da Organização das Nações Unidas (ONU).

Thunberg, que desencadeou um movimento global de protesto liderado por jovens depois de fazer greve diante do Parlamento sueco no ano passado, disse que pedir que crianças faltem à escola para protestar contra a inação dos governos no combate à mudança climática "não é uma solução sustentável".

"Não queremos continuar. Adoraríamos alguma ação das pessoas no poder", disse. "As pessoas estão sofrendo e morrendo por causa da emergência climática e ecológica hoje, e não podemos esperar mais tempo."

Thunberg disse esperar que a rodada anual de negociações climáticas de duas semanas, que começou em Madri na segunda-feira, leve a "ações concretas" e que os líderes mundiais entendam a urgência da crise climática.

"É claro que não há vitória, porque a única coisa que queremos ver é ação real", disse ela. "Então já conquistamos muito, mas se você olhar para isso de um certo ponto de vista não conquistamos nada."