União Europeia aprova sanções contra golpistas de Guiné-Bissau

A decisão envolve seis indivíduos, ainda não identificados, que terão seus bens congelados na Europa

Bruxelas - A União Europeia aprovou nesta quinta-feira sanções contra os líderes do golpe de Estado cometido em Guiné-Bissau ao considerá-los responsáveis por ameaçar "a paz, segurança e estabilidade" do país.

A decisão envolve seis indivíduos, ainda não identificados, que terão seus bens congelados na Europa e serão proibidos de entrar no território da UE. As identidades serão conhecidas nesta sexta, quando as sanções forem publicadas no "Diário Oficial" do bloco, informou o bloco em comunicado.

A chefe da diplomacia comunitária, Catherine Ashton, disse que as medidas desta quinta são dirigidas aos líderes do recente golpe de Estado em Guiné-Bissau. Catherine também voltou a condenar o ato e pedir o retorno "imediato" da ordem constitucional.

Na última reunião entre os ministros das Relações Exteriores do bloco europeu, a UE já havia ameaçado os militares golpistas com possíveis sanções, e rejeitaram o Governo de transição nomeado. "As instituições transitórias proclamadas não serão reconhecidas, como também qualquer tipo de acordo que permita as Forças Armadas a ameaçar ou controlar os poderes civis".

As sanções europeias devem ser complementadas com medidas semelhantes por parte da Comunidade Econômica de Estados da África Ocidental (Cedeao), que começou a elaborar a lista de pessoas. Segundo informou à Agência Efe uma fonte da organização regional, as sanções - que incluem restrições de viagem e congelamento de bens - serão aplicadas "nos próximos dias".

O golpe de Estado da Guiné-Bissau, perpetrado em 12 de abril, ocorreu em pleno processo eleitoral do país, um dos mais pobres do mundo. O segundo turno das presidenciais estava definido para acontecer em 29 de abril.

Os golpes de Estado militares na ex-colônia portuguesa foram constantes nos últimos anos e refletem a instabilidade política que o país africano vive. Mali é um importante ponto na rota do tráfico de droga que chega à Europa a partir da América Latina.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.