UE estende sanções contra Rússia por anexação da Crimeia até junho de 2023

Medidas bloqueiam importações de bens da Crimeia, investimentos financeiros e setor de turismo na região
 (Lisi Niesner/File Photo/Reuters)
(Lisi Niesner/File Photo/Reuters)
E
Estadão Conteúdo

Publicado em 20/06/2022 às 09:06.

Última atualização em 20/06/2022 às 09:08.

Ministros de Relações Exteriores da União Europeia (UE) decidiram estender em um ano as sanções impostas pelo bloco à Rússia pela anexação da região ucraniana da Crimeia, em 2014.
As sanções, que foram adotadas há oito anos e venceriam neste mês, foram renovadas até 23 de junho de 2023."A UE não reconhece e continua condenando a anexação ilegal da península da Crimeia como uma séria violação da lei internacional", diz o Conselho do bloco, em comunicado divulgado nesta segunda-feira.
As medidas bloqueiam importações de bens da Crimeia e miram também investimentos financeiros e o setor de turismo da região. Desde a invasão da Ucrânia pela Rússia, em 24 de fevereiro, a UE já adotou também outros seis pacotes de sanções contra Moscou.