Exame logo 55 anos
Remy Sharp
Acompanhe:

Ucrânia lembra 30 anos de Chernobyl com tributos

O presidente ucraniano, Petro Poroshenko, é esperado hoje na "zona de exclusão" e na central de Chernobyl

Modo escuro

Continua após a publicidade

	Chernobyl: duas cerimônias começaram em uma igreja de Kiev e em outra na cidade de Slavutish em lembrança da catástrofe
 (Gleb Garanich / Reuters)

Chernobyl: duas cerimônias começaram em uma igreja de Kiev e em outra na cidade de Slavutish em lembrança da catástrofe (Gleb Garanich / Reuters)

D
Da Redação

Publicado em 26 de abril de 2016 às, 09h08.

Kiev - A Ucrânia deu início aos atos para comemorar o 30° aniversário do acidente nuclear de Chernobyl, com várias vigílias realizadas na madrugada para prestar homenagem às vítimas e "liquidadores", as pessoas que ajudaram a atenuar os efeitos da emissão em massa de radiação.

Às 1h23 desta terça-feira (19h23 e Brasília da segunda-feira), exatamente a hora em que aconteceu a explosão do reator número 4 da central de Chernobyl em 26 de abril de 1986, duas cerimônias começaram em uma igreja de Kiev e em outra na cidade de Slavutish em lembrança da catástrofe.

Slavutish, situada a 50 quilômetros da central mas fora da "zona de exclusão" de 30 quilômetros ordenada em torno do epicentro do desastre, foi criada para receber alguns dos habitantes evacuados das cidades mais afetadas, como Pripiat, assim como os funcionários do recinto atômico.

O presidente ucraniano, Petro Poroshenko, é esperado hoje na "zona de exclusão" e na central de Chernobyl, precedido pelos protestos de "liquidadores" que exigem em Kiev que sejam devolvidos as ajudas e benefícios sociais perdidos nos últimos anos.

Antes, no complexo de arte nacional "Museu Mystetskyi Arsenal" da capital ucraniana, Poroshenko assistiu a outro ato dedicado à tragédia, no qual foi mostrado um quadro da artista Maria Primachenko dedicado a seu sobrinho Valeri Jodemchuk, o único operador da usina nuclear que morreu na noite da explosão.

Um memorial dentro da central de Chernobyl lembra este trabalhador falecido.

O pior acidente nuclear da história, na central de Chernobyl, a 120 quilômetros de Kiev, liberou à atmosfera mais de 50 milhões de curies de radiação e contaminou vastas zonas deste país, de Belarus e da Rússia.

Da "zona de exclusão" criada em torno da acidentada central, foram evacuadas mais de 135 mil pessoas nos dias posteriores ao acidente.

Últimas Notícias

Ver mais
Terremoto de magnitude 7.6 atinge Filipinas. Alerta de tsunami é emitido e pode chegar até o Japão

Mundo

Terremoto de magnitude 7.6 atinge Filipinas. Alerta de tsunami é emitido e pode chegar até o Japão

Há 7 horas

Após encontro com Lula, Macron chama acordo Mercosul-UE de incoerente e antiquado

Mundo

Macron encontra Lula e depois critica acordo UE-Mercosul

Há 7 horas

COP28: Macron diz ser contra acordo entre Mercosul e União Europeia

Mundo

COP28: Macron diz ser contra acordo entre Mercosul e União Europeia

Há 8 horas

Corte de Haia se opõe a plebiscito, mas Maduro mantém votação; entenda o caso

Mundo

Corte de Haia se opõe a plebiscito, mas Maduro mantém votação; entenda o caso

Há 12 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Com copos de plástico reciclado coletado no litoral brasileiro, Corona estreia no Primavera Sound

Com copos de plástico reciclado coletado no litoral brasileiro, Corona estreia no Primavera Sound

Com itens personalizados, Tramontina usa expertise para aproveitar alta dos presentes de fim de ano

Com itens personalizados, Tramontina usa expertise para aproveitar alta dos presentes de fim de ano

Suvinil investe para criar embalagens e produtos mais sustentáveis

Suvinil investe para criar embalagens e produtos mais sustentáveis

Inovação em nuvem e IA: a aposta da Huawei Cloud para o Brasil

Inovação em nuvem e IA: a aposta da Huawei Cloud para o Brasil

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais