Ucrânia diz que 30 mil soldados russos entraram na Crimeia

Serviço de guarda das fronteiras da Ucrânia denunciou que Moscou enviou até 30 mil soldados para a região autônoma da Crimeia

Kiev - O serviço de guarda das fronteiras da Ucrânia (SGU) denunciou nesta sexta-feira que Moscou enviou até 30 mil soldados para a região autônoma da Crimeia, cujo Parlamento regional aprovou ontem de maneira unilateral a reunificação com a Rússia.

O diretor de Recursos Humanos do SGU, Mikhail Koval, não esclareceu quantos soldados ucranianos permanecem na península rebelde, mas assegurou que todos os destacamentos da guarda de fronteiras e das Forças Armadas desdobradas na Crimeia seguem em seus postos.

O Conselho Superior da Crimeia (Parlamento regional) adotou ontem uma resolução para sua reunificação com a Rússia, da qual fez parte até 1954, e convocou um referendo sobre a questão para 16 de março.

Logo após a decisão ser adotada, o vice-primeiro-ministro do autoproclamado governo da república rebelde, Ruslan Temirgaliev, disse à imprensa que as forças armadas russas enviadas para península serão consideradas legais, e o restante, "de ocupação".

Em Kiev, o presidente interino da Ucrânia, Aleksandr Turchinov, disse que a decisão do Parlamento da Crimeia foi "ilegal e ilegítima" e que o legislativo ucraniano vai a iniciar um processo para dissolver o Parlamento da região autônoma.

Enquanto isso, o presidente da Duma (Câmara dos Deputados da Rússia), Sergei Narishkin, afirmou hoje que os parlamentares russos apoiarão a "opção que for feita livre e democraticamente" pela população da Crimeia.

A Crimeia tem dois milhões de habitantes, dos quais 60% são russos, 26% ucranianos e 12% tártaros, favoráveis a manter a região dentro da Ucrânia.

As novas autoridades de Kiev não reconhecem o governo da autonomia, que por sua vez considera ilegítimo o executivo central e só reconhece como o presidente da Ucrânia o deposto Viktor Yanukovich, refugiado na Rússia.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.