Ucrânia avança em contraofensiva na região de Kherson

Estima-se que 80% da região esteja sob o controle dos russos
O governador da ocupação imposto pelas Rússia em Kherson, Vladimir Saldo, admitiu um "avanço" dos ucranianos, especificamente mencionando a perda do controle da cidade (Scott Peterson/Getty Images)
O governador da ocupação imposto pelas Rússia em Kherson, Vladimir Saldo, admitiu um "avanço" dos ucranianos, especificamente mencionando a perda do controle da cidade (Scott Peterson/Getty Images)
A
AFP

Publicado em 04/10/2022 às 10:48.

Última atualização em 04/10/2022 às 10:51.

As forças russas estão em dificuldades no norte da região de Kherson, no sul do país, onde o exército ucraniano sustenta uma ofensiva há várias semanas, segundo declarações de autoridades pró-russas de ocupação e blogueiros especializados que acompanham os movimentos no local.

O governador da ocupação imposto pelas Rússia em Kherson, Vladimir Saldo, admitiu um "avanço" dos ucranianos, especificamente mencionando a perda do controle da cidade de Dudchany, embora tenha afirmado que a aviação russa freou as tropas de Kiev, segundo uma entrevista publicada na segunda-feira em seu canal do Telegram.

Seu adjunto Kirill Stremousov disse nas redes sociais nesta terça-feira que o avanço ucraniano foi contido e que não há que entrar em "pânico".

O canal russo Rybar, que acompanha os movimentos das tropas de Moscou, revelou que os ucranianos estão avançando em Arkhanguelske e Dudchany com o objetivo de "cortar o abastecimento dos grupos russos que estão na margem direita do rio Dniepr".

A região de Kherson é um território-chave que tinha uma população de um milhão de pessoas antes da guerra. É de fundamental importância por ser uma grande área agrícola, mas também uma rota para a península da Crimeia, anexada pela Rússia em 2014.

Estima-se que 80% da região esteja sob o controle dos russos.

Veja também:

Angela Merkel é premiada na ONU por política dos refugiados

Coreia do Norte dispara míssil balístico que sobrevoa o Japão