Trump se recusa a responder perguntas em investigação da procuradoria-geral de NY

O ex-presidente volta a falar sobre uma "caça às bruxas" e afirma ser vítima de notícias falsas
A busca dos agentes federais na Flórida está relacionada a documentos da Casa Branca e é separada da investigação do gabinete do procurador-geral do Estado (Bloomberg/Getty Images)
A busca dos agentes federais na Flórida está relacionada a documentos da Casa Branca e é separada da investigação do gabinete do procurador-geral do Estado (Bloomberg/Getty Images)
E
Estadão ConteúdoPublicado em 10/08/2022 às 15:46.

O ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump se recusou nesta quarta-feira, 10, a responder perguntas do Gabinete da Procuradoria-Geral de Nova York, durante seu depoimento em investigação de fraude civil sobre as transações financeiras de sua empresa.

Em um comunicado, Trump disse que estava seguindo o conselho de seu advogado para assegurar seu direito de não responder as perguntas, garantido sob a Quinta Emenda da Constituição americana.

"Quando sua família, sua empresa e todas as pessoas em sua órbita se tornam alvos de uma caça às bruxas infundada e politicamente motivada, apoiada por advogados, promotores e a mídia que promove notícias falsas, você não tem escolha", disse Trump.

Ele disse que a busca em sua residência na Flórida, na última segunda-feira, por agentes federais, também impactou sua decisão.

"Não tenho escolha porque o atual governo e muitos promotores neste país perderam todos os limites morais e éticos da decência", disse Trump.

A busca dos agentes federais na Flórida está relacionada a documentos da Casa Branca e é separada da investigação do gabinete do procurador-geral do Estado.

(Estadão Conteúdo)

LEIA TAMBÉM:

Langya: tudo o que se sabe sobre o novo vírus descoberto na China

Conheça franquias de doces para investir a partir de R$ 64 mil