Trump pede adiamento do debate para que possa participar; Biden nega

Pela manhã, Trump havia dito que não iria participar de um debate virtual, depois pediu o adiamento do evento

Após o presidente americano, Donald Trump, afirmar nesta manhã que não iria participar do debate presencial de forma virtual, sua campanha sugeriu que o debate fosse adiado para que ele pudesse participar.

Segundo informou a campanha do presidente em novo comunicado nesta quinta-feira, 8, Trump concordaria em participar se o próximo debate fosse adiado em uma semana, para que não precisasse ser virtual. A imprensa americana chegou a reportar que os candidatoa haviam chegado a um acordo. Horas depois, a campanha de Biden informou que não aceitou a proposta.

Trump disse pela manhã que não participaria do debate virtual após a comissão que organiza o debate decidir que o evento seria online por cauda da doença do presidente.

"Eu não vou desperdiçar meu tempo em um debate virtual", disse Trump à Fox News pela manhã. Após a declaração do presidente, antes do acordo com Biden, sua campanha havia dito ainda que ele faria um comício no lugar do debate.

Como foi diagnosticado com coronavírus na sexta-feira, 2, Trump teria de ficar em quarentena por duas semanas, isto é, pelo menos até a semana para a qual estava marcado o debate.

O próximo debate aconteceria em 15 de outubro, na Flórida.

"A comissão e a mídia não podem esconder Joe Biden para sempre. Os americanos merecem ouvir diretamente os dois candidatos à presidencia"

Bill Stepien, assessor da campanha de Donald Trump, ao anunciar que concordou em adiar o debate

Se os dois debates restantes fossem adiados, o último debate, dessa forma, seria realizado poucos dias antes da data oficial da eleição americana, marcada para 3 de novembro. Embora a eleição só ocorra em um mês, quase 4 milhões de eleitores também já votaram com antecedência ou pelos correios, o que é permitido nos Estados Unidos. A projeção é que o país tenha o maior número de votantes em um século, desde 1908.

Segundo as últimas pesquisas, Biden tem 9 pontos de vantagem nacionalmente e lidera em estados decisivos, embora com margem mais apertada.

Ontem, no debate entre Kamala Harris (vice de Biden) e Mike Pence (vice de Trump), a comissão já exigiu que os dois ficassem sentados e separados por placas de vidro. O objetivo era proteger as equipes trabalhando, os próprios candidatos e a moderadora.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.