Trump diz que paralisação do governo será longa se muro não for financiado

O Senado discute hoje o orçamento que inclua US$ 5 bilhões para a construção do muro na fronteira com o México, já aprovado pela Câmara

Washington - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou nesta sexta-feira que ocorrerá uma "longa" paralisação do governo se os democratas do Senado não aprovarem um orçamento que inclua US$ 5 bilhões para a construção do muro na fronteira com o México, uma verba que já foi aprovada pela Câmara dos Representantes.

"Os democratas, cujos votos precisamos no Senado, provavelmente votarão contra a segurança na fronteira e o muro, embora saibam que precisamos desesperadamente dele. Se os democratas votarem não, haverá uma paralisação que durará um longo período de tempo. O povo não quer fronteiras abertas e crime", escreveu Trump no Twitter.

O Senado debate hoje um projeto de lei que a Câmara dos Representantes aprovou ontem à noite para financiar o governo até o dia 8 de fevereiro e que inclui os US$ 5 bilhões necessários para começar a construção do muro, uma das principais promessas de campanha de Trump.

Por enquanto, parece improvável que esse projeto de lei seja aprovado, pois os democratas têm votos suficientes para bloqueá-lo, apesar de serem minoria.

Se for assim, o desacordo levará os EUA a uma nova paralisação administrativa parcial quando se esgotarem os atuais fundos, a partir da próxima meia-noite.

Diante dessa situação, Trump dirigiu seus tuítes aos democratas, aos quais responsabilizou de uma eventual paralisação, e aproveitou para pressionar o líder da maioria republicana do Senado, Mitch McConnell.

"O senador Mitch McConnell deveria lutar pelo muro e a segurança na fronteira tão duramente como faria por qualquer outra coisa. Precisará de votos democratas, mas como mostra a Câmara dos Representantes, coisas boas podem acontecer", ressaltou Trump.

Por iniciativa de McConnell, republicanos e democratas chegaram a um acordo nesta semana para financiar o governo até fevereiro; mas o presidente criticou esse consenso ontem ao anunciar que só assinaria um orçamento que incluísse fundos para o muro fronteiriça.

Os democratas tomarão em janeiro o controle da Câmara dos Representantes e poderão bloquear o financiamento do muro lá e também no Senado, razão pela qual Trump considera que esta é uma das últimas oportunidades para financiar o muro.

Caso haja uma paralisação do governo, seria a terceira desde que Trump chegou ao poder, no início de 2017.

A primeira aconteceu em janeiro e durou três dias; enquanto a segunda, em fevereiro, levou apenas algumas horas.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.