Mundo

Trump ajudou os pais a esconder dinheiro em declarações fiscais, diz NYT

De acordo com o jornal americano, Trump está envolvido em vários casos de fraude nos quais ele e seus irmãos ajudaram os pais a evitar impostos

Trump: o jornal obteve mais de 200 declarações de impostos (Leah Millis/Reuters)

Trump: o jornal obteve mais de 200 declarações de impostos (Leah Millis/Reuters)

R

Reuters

Publicado em 2 de outubro de 2018 às 17h45.

Última atualização em 2 de outubro de 2018 às 18h57.

Washington - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, participou de esquemas fiscais que incluem casos de fraude nos quais ele e seus irmãos ajudaram seus pais a se esquivarem de impostos, relatou nesta terça-feira o New York Times.

A investigação do Times, que um advogado de Trump disse ser imprecisa, mostrou que Trump recebeu o equivalente hoje a pelo menos 413 milhões de dólares dos negócios imobiliários de seu pai, citando um "vasto acervo" de registros financeiros e declarações de impostos confidenciais.

O Times relatou que grande parte desta fortuna foi para Trump porque ele ajudou seus pais a se esquivarem de impostos, montando uma corporação falsa com seus irmãos para disfarçar milhões de dólares como presentes de seus pais.

Durante sua campanha presidencial, Trump se promoveu como um magnata imobiliário por esforço próprio que começou com somente um empréstimo "muito pequeno" de seu pai, o empresário Fred Trump.

O Times informou que suas descobertas são baseadas em mais de 200 declarações de impostos de Fred Trump, de suas companhias e de diversas parcerias e trustes de Trump. Os registros não incluíam declarações fiscais pessoais de Donald Trump.

O advogado de Trump, Charles Harder, disse ao Times: "O presidente Trump não teve praticamente nenhum envolvimento de maneira alguma com estas questões".

"Estas questões foram tratadas por outros membros da família Trump que não são especialistas e, logo, necessitavam inteiramente de profissionais licenciados supracitados para garantirem total cumprimento da lei", acrescentou Harder.

A Casa Branca não respondeu imediatamente um pedido de comentário sobre a reportagem. A Reuters não pôde verificar a as conclusões da reportagem.

O jornal informou que a reportagem teve como base entrevistas com ex-funcionários e conselheiros de Fred Trump e mais de 100 mil páginas de documentos descrevendo o funcionamento interno de seu império de negócios.

"A investigação também se baseia em dezenas de milhares de páginas de registros confidenciais - declarações bancárias, auditorias financeiras, livros contábeis, relatórios de desembolso de caixa, faturas e cheques cancelados", informou o Times.

Acompanhe tudo sobre:Donald TrumpEscândalosEstados Unidos (EUA)New York TimesThe New York Times

Mais de Mundo

Ato renova pedido por justiça na Argentina, 30 anos após ataque ao centro judaico Amia

Reino Unido relança sua relação com a Europa em reunião de alto nível

Obama acredita que Biden deveria reconsiderar futuro de sua candidatura, diz jornal

Eleições nos EUA: Trump fará discurso às 21h09 e deve falar por 55 minutos na Convenção Republicana

Mais na Exame