Time elege Barack Obama a pessoa do ano em 2012

Em sua edição especial, revista conta a história do presidente americano reeleito neste ano

São Paulo – A revista Time elegeu o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, como a pessoa do ano em 2012. Em sua edição especial, a revista trouxe um perfil do presidente que, mesmo em meio a uma economia abalada, conseguiu a reeleição no início de novembro.

Obama venceu as eleições americanas após uma acirrada disputa contra o candidato republicano Mitt Romney. O feito rendeu a inclusão do presidente em outras listas além da elaborada pela Time. Obama foi considerado a pessoa mais poderosa do mundo pela revista Forbes e ficou com o sétimo lugar na lista de pensadores globais da revista Foreign Policy.

A frase preferida

Para mostrar alguns dos grandes momentos da pessoa do ano, a Time preparou um vídeo com Obama dizendo sua frase favorita em uma série de discursos: “Eu quero deixar claro que…”.

Confira o vídeo (em inglês):

http://c.brightcove.com/services/viewer/federated_f9?isVid=1&isUI=1

Os candidatos

O ano foi cheio de grandes eventos globais. Olimpíadas e crise econômica foram apenas dois deles, o que rendeu uma boa lista de candidatos para a Time.


Em uma votação popular, que não altera a escolha oficial da revista (definida por critérios editoriais), até o cantor sul-coreano PSY, do hit Gangnam Style, apareceu como candidato. A disputa não incluiu apenas nomes humanos na escolha de pessoa do ano. O jipe-robô Curiosity e o bóson de Higgs também eram indicados na votação.

Se um dos nomes inusitados fosse o escolhido, não seria a primeira vez. Em 2011, a figura do “manifestante” foi a escolhida da revista em reconhecimento às pessoas de todo o mundo, em particular do Oriente Médio e norte da África, que saíram às ruas para lutar por seus direitos.

Outros veículos internacionais também palpitaram na escolha. A Business Insider, por exemplo, defendeu que o escolhido deveria ser Mario Draghi, que ganhou durante o ano o apelido de Super Mario por suas medidas para tentar combater a crise econômica.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.