A página inicial está de cara nova Experimentar close button

Teremos vacina contra a covid-19 para imunizar todo o planeta em 2021?

Estimativas apontam que laboratórios devem produzir vacina suficiente para imunizar toda a população, mas a distribuição não é igualitária

Para imunizar todas as pessoas com mais de cinco anos contra a covid-19 no mundo são necessárias 10,82 bilhões de doses de vacina, considerando que a maior parte delas é aplicada em duas doses. Estimativa feita pela consultoria de análise de dados Airfinity aponta que até o fim deste ano, os 18 principais laboratórios produtores de imunizantes devem fabricar um total de 11,14 bilhões de doses. 

A projeção leva em conta os acordos firmados entre os laboratórios e os governos, além do ritmo de produção atual. A expectativa dos laboratórios é mais otimista, com previsão de produzir pouco mais de 22 bilhões de doses, mas a Airfinity ressalta que coloca no seu cálculo o ritmo de produção nos cinco primeiros meses do ano: 1,73 bilhão de doses. Ou seja, há a possibilidade de incremento nos números.

A maior parte da produção anual virá da Pfizer/BioNTech, com 2,47 bilhões, seguida da AstraZeneca, com 1,96 bilhão, que no Brasil tem parceria com a Fiocruz. Em terceiro aparece o laboratório chinês Sinovac, que tem parceria com o Instituto Butantan, e produção de 1,35 bilhão de doses em todo o planeta.

O Brasil já comprou um total de 662 milhões de doses, segundo dados do Ministério da Saúde.

“A produção no terceiro trimestre de 2021 deve ser superior a 3 bilhões de doses, enquanto no quarto trimestre espera-se que a produção alcance pouco menos de 5 bilhões de doses. Caso as previsões se concretizem, teríamos vacina suficiente para atingir a imunidade de rebanho em todo o mundo”, diz o relatório publicado nesta semana.

Apesar da produção ser capaz de vacinar todo o planeta ainda este ano, a distribuição não deve ser igualitária. O relatório aponta que vários países compraram estoques extras e devem acumular doses, principalmente caso haja a necessidade de uma terceira dose. O maior montante excedente deve ficar na União Europeia (885 milhões), Estados Unidos (539 milhões), Japão (300 milhões), e Reino Unido (297 milhões).

No Brasil, de acordo com dados do Ministério da Saúde, há a contratação de um total de 662 milhões de doses de vacina, com cronograma de entregar até o fim de 2021, ou seja, um excedente de 118 milhões - levando em conta a vacinação de toda a população.

Os maiores volumes foram comprados da Fiocruz/AstraZeneca (210 milhões), da Pfizer/BioNTech (200 milhões), e do Instituto Butantan/Sinovac (130 milhões). Até o fim de maio, o governo federal já distribuiu quase 90 milhões de doses.


O podcast EXAME Política vai ao ar todas as terças-feiras. Clique aqui para ver o canal no Spotify, ou siga em sua plataforma de áudio preferida, e não deixe de acompanhar os próximos programas.

Assine a EXAME e acesse as notícias mais importante em tempo real.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também